O QUE É O BIOTINA:

A biotina é uma vitamina do complexo B. Ela também é conhecida como vitamina B7 e vitamina H. Trata-se de uma vitamina hidrossolúvel produzida no intestino pelas bactérias e obtida por meio da alimentação.

Assim como outras vitaminas do complexo B, a biotina está relacionado ao metabolismo das gorduras, carboidratos e proteínas. Ela também é essencial para a saúde da pele, unhas e cabelos.

ONDE A BIOTINA É ENCONTRADA:

As principais fontes de biotina são o amendoim, as nozes, o tomate, a gema do ovo, a cebola, a cenoura, alface, couve-flor e amêndoa. A carne vermelha, o leite, as frutas e as sementes também contam com o nutriente.

A Vitamina B7 pode ser obtida em uma ampla variedade de alimentos.

O fígado é uma excelente fonte natural desta vitamina, sendo altamente recomendado para quem precisa da Biotina. Cereais integrais e nozes também são ótimas fontes de Vitamina B7, assim como a gema do ovo.

Leite, soja, rim de vitela e melaço também são fontes naturais interessantes de biotina.

Claro, outra forma de se nutrir com esta vitamina é por meio do uso de suplementos encapsulados.

COMO O BIOTINA AGE NO CORPO:

A Vitamina B7 funciona como um cofator que ajuda nas atividades biológicas de enzimas do organismo.

A Biotina atua também na metabolização de carboidratos, lipídios e aminoácidos absorvidos através da alimentação. Em decorrência dessa ajuda no metabolismo, uma função decorrente da Vitamina B7 é contribuir para o organismo produzir energia.

A Biotina também tem funções importantes para manter o funcionamento do sistema nervoso. A manutenção da saúde das mucosas, unhas, boca e pele do organismo também é uma das funções da Vitamina B7.

Quando ingerida pelo organismo, a Vitamina B7 - Biotina estimula o corpo a produzir mais queratina. E com isso ela ajuda a tratar das unhas e cabelos, deixando-os mais fortes e saudáveis. Indiretamente, essa estimulação da produção de queratina também ajuda a pele.

Seu trabalho na metabolização de carboidratos, lipídios e aminoácidos ajuda os processos que levam o corpo a produzir energia. E essa estimulação causa mais vigor para o dia a dia, assim como melhora a saúde pelo fortalecimento do sistema imunológico.

IMPORTÂNCIA DA BIOTINA:

Cabelo: A biotina é uma vitamina essencial do complexo B, também conhecida com vitamina B7 ou H, que desempenham diversas funções no organismo, ajudando a manter a saúde da pele, cabelo e do sistema nervoso. Para combater a queda de cabelo e fazer com que cresça mais rápido, é recomendado ingerir 5 a 10 mg de biotina por dia.

Unhas:  Bom para as unhas: A falta de biotina pode enfraquecer as unhas. Alguns especialistas acreditam que isto ocorre porque o nutriente tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe as unhas.

Pele:  A biotina é muito benéfica para a pele, isto porque ela ajuda no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras o que acaba melhorando a saúde da pele. A ausência da biotina pode fazer com que a pele fique seca, escamosa e com vermelhidão em volta da boca e nariz.

FUNÇÃO DA BIOTINA:

Não são apenas os cabelos, unhas e pele que se beneficiam de sua função. A biotina ajuda a metabolizar macronutrientes como carboidratos, gorduras e proteínas. Assim, ela otimiza a absorção dessas substâncias e garante o aproveitamento nutricional.

BIOTINA É INDICADO PARA:

  • Tratamento da síndrome das unhas frágeis;
  • Tratamento da deficiência de biotinidase (DB).

A suplementação com biotina está indicada para o tratamento de casos de deficiência em biotinidase e para auxiliar no tratamento da acne e da alopécia e ainda para melhorar a saúde a pele, cabelo e unhas.

PARA QUE SERVE A BIOTINA:

Biotina para a pele:  A biotina é muito benéfica para a pele, isto porque ela ajuda no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras o que acaba melhorando a saúde da pele. A ausência da biotina pode fazer com que a pele fique seca, escamosa e com vermelhidão em volta da boca e nariz.

Biotina para a barba: A biotina é outra vitamina do complexo B indispensável para o funcionamento correto dos folículos que produzem os pelos da barba e, embora possa ser ingerida em alimentos como a carne, o leite ou os ovos, é recomendado tomar um suplemento de, pelo menos, 2,5 mg por dia, de forma a estimular o crescimento da barba.

Biotina para perda de peso: Os benefícios da biotina para a perda de peso se dão sobretudo através de suas funções no metabolismo. A ativação das enzimas para que serve a biotina garante a absorção dos nutrientes necessários, evitando que o corpo tenha reações negativas que levam ao acúmulo de gordura a ao aumento exagerado do apetite.

Outro ponto importante para o emagrecimento é o controle que a biotina exerce sobre os níveis de açúcar no sangue. Níveis altos de açúcar favorecem o acúmulo de gordura. Além disso, níveis controlados de açúcar permitem que o corpo funcione com níveis mais baixos de insulina, um hormônio que estimula o armazenamento de gordura.

Biotina para o ganho de massa muscular: A biotina é de grande importância para o ganho de massa muscular, sobretudo em virtude de suas funções no reparo dos tecidos danificados. A recuperação dos tecidos se encaixa perfeitamente no treino de hipertrofia, cujo princípio é provocar pequenos danos nos músculos, que são em seguida reparados com ganhos de massa muscular.

Através de seu papel na digestão, a biotina garante ainda que o corpo tenha a energia necessária para a síntese proteica, fator essencial para o crescimento dos músculos.

O aumento dos níveis de energia promovido pela biotina também é crucial para garantir que você tenha fôlego para a prática de atividades físicas que estimulam o ganho de massa magra.

Biotina para fortalece unhas, cabelos e pele: É uma das principais qualidades da biotina, que está presente na formação e no crescimento saudável das unhas e cabelos. Portanto, sem ela, ambos não crescem como deveriam, tornando-se quebradiços e frágeis. 

No caso da pele, por ajuda a metabolizar outros macronutrientes, equilibra as funções do maior órgão do nosso corpo. E nos cabelos podem fazer o papel de prevenção à queda dos fios.

Biotina para melhorar a absorção de outros nutrientes:  Não são apenas os cabelos, unhas e pele que se beneficiam de sua função. A biotina ajuda a metabolizar macronutrientes como carboidratos, gorduras e proteínas. Assim, ela otimiza a absorção dessas substâncias e garante o aproveitamento nutricional.

Biotina para diabéticos: Uma das funções da Biotina é atuar no metabolismo dos carboidratos (incluindo os açúcares). Alguns estudos levantam a hipótese de que a ingestão desta vitamina por diabéticos atuaria em conjunto com a insulina promovendo a redução dos altos níveis de glicose sanguínea.

Biotina para depressão: Existem sugestões que a Biotina também tem a capacidade de aliviar dores musculares, depressão e funciona como cura de dermatites. A sua deficiência pode levar a quadros de depressão, letargia, eczemas, anorexia, náuseas, vômitos e dores musculares.

Tratamento da síndrome das unhas frágeis: Para o tratamento das unhas frágeis, deve ser administrada uma cápsula de Biotina (2,5 mg de biotina), uma vez ao dia. O prazo mínimo para obtenção dos resultados é de 30 dias, porém a maioria dos estudos mostram resultados favoráveis em períodos mais longos de 3 a 6 meses tratamento.

Tratamento da deficiência de biotinidase (DB): Para tratamento da deficiência de biotinidase, a biotina deve ser utilizada na dose oral inicial de 5 mg/dia independentemente do peso corporal (2 cápsulas de Biotina por dia) por todos os pacientes com diagnóstico de DB parcial e de 10 mg/dia independentemente do peso corporal (4 cápsulas de Biotina por dia) por todos os pacientes com diagnóstico de DB total. Para casos sem resposta com a dose-padrão ou com exacerbações da doença, o que raramente ocorre, doses maiores podem ser utilizadas.

O tratamento preconizado deverá ser mantido por toda a vida, já que a interrupção da medida terapêutica produz o retorno ao quadro bioquímico inicial e suas consequentes manifestações clínicas.

As cápsulas devem ser integralmente deglutidas por crianças maiores (escolares e adolescentes) ou ter seu conteúdo retirado e administrado a lactentes, pré-escolares ou pacientes com distúrbios de deglutição juntamente com leite materno, fórmula infantil ou leite. A seguir, sem lavar a colher ou o dispensador, deve-se adicionar nova quantidade do líquido utilizado para que seja administrado todo o conteúdo da cápsula.

 

BENEFÍCIOS DA BIOTINA:

Bom para a pele: A biotina é muito benéfica para a pele, isto porque ela ajuda no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras o que acaba melhorando a saúde da pele. A ausência da biotina pode fazer com que a pele fique seca, escamosa e com vermelhidão em volta da boca e nariz.

Bom para o cabelo: A ausência da biotina pode causar a queda de cabelos e também fazer com que os fios fiquem enfraquecidos. Ainda não é certa a relação entre o nutriente e os cabelos, mas alguns especialistas acreditam que a biotina tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe o cabelo.

Bom para as unhas: A falta de biotina pode enfraquecer as unhas. Alguns especialistas acreditam que isto ocorre porque o nutriente tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe as unhas.

Colesterol e Triglicerídeos:  Bons níveis de biotina no corpo ajudam a reduzir os níveis de colesterol, diminui significativamente o risco da hipertensão. Além disso, também ajuda a regular os níveis de triglicerídeos, evitando problemas de colesterol.

Ajuda na absorção correta dos nutrientes: A biotina, juntamente com outras vitaminas do complexo B, contribui para o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, fazendo com que o corpo os absorva da melhor maneira.

Melhora metabolismo:  Um dos principais benefícios da biotina para quem está praticamente exercícios físicos, é ser um grande aliado do metabolismo, melhorando o desempenho do seu organismo. Isso ocorre principalmente por conta da ativação de enzimas.

Caso você não saiba, as enzimas são parte fundamental para uma digestão eficaz, já que elas têm o poder de conseguir quebrar os nutrientes em pequenas unidades. Com essa redução no tamanho, esses nutrientes são facilmente absorvidos pelo organismo, proporcionando uma digestão completa.

Desta forma, o corpo elimina o que é desnecessário para o bom funcionamento do corpo e ao mesmo tempo, absorve nutrientes valiosos de forma segura e eficaz, gerando benefícios ao organismo.

Redução de gordura:  Outra grande vantagem da biotina para quem está inserido numa rotina de exercícios e deseja perder peso, é a questão da eliminação de gordura. E esse processo está totalmente relacionado ao tópico anterior, ou seja, o metabolismo.

Como mencionado anteriormente, se as enzimas são ativadas das enzimas por meio da biotina, o organismo garante uma melhor absorção dos nutrientes necessários, já que eles são divididos em menores tamanho. Essa reação evita que o corpo tenha reações negativas e por consequência acumule as gorduras presentes nos alimentos.

Além disso, outro benefício da biotina em relação a redução de gordura e consequentemente perda de peso, é que o ativo consegue controlar os níveis de açúcar no sangue, um dos principais vilões de quem deseja emagrecer.

O açúcar é considerado um grande vilão da saúde, pois facilmente consegue favorecer o acúmulo de gordura no corpo. Porém, conseguindo controlá-lo e mantendo os níveis de insulina no sangue baixos, esse estímulo não é concretizado, não gerando esse acúmulo.

Reparo dos Tecidos:  A biotina também possui funções importantes no que se refere ao crescimento e ao reparo de uma grande variedade de tecidos do corpo humano. Dessa forma, o crescimento da medula óssea depende da biotina, bem como o reparo das células nervosas eventualmente danificadas.

Um estudo de 2016 publicado na revista Neuropharmacology indica que a biotina tem um papel importante na produção de mielina, que é a camada protetora de células nervosas que ficam no cérebro, na medula e nos olhos. A destruição da mielina causa a esclerose múltipla, uma doença que afeta o sistema nervoso justamente por causa da falta de proteção nas células nervosas. Segundo um estudo piloto feito com 23 pessoas diagnosticadas com esclerose múltipla progressiva publicado em 2015 no periódico Multiple Sclerosis and Related Disorders, mais de 90% dessas pessoas apresentaram uma melhora clínica após o uso de altas doses de biotina, sugerindo que a vitamina pode ser uma nova opção para ajudar no tratamento da doença.

Aumento da massa muscular:  Mais uma grande vantagem da biotina para quem pratica exercícios é que ele ajuda no aumento da massa muscular. Isso ocorre porque o ativo tem um grande potencial de reparar os músculos danificados após os exercícios.

Para deixar mais claro, após uma sessão de treinos intensa na academia, os músculos sofrem pequenas lesões e precisam de descanso e uma boa rotina de alimentação para se recuperarem e crescerem mais fortes e grandes.

Neste cenário, o biotina garante que o organismo tenha energia suficiente para a chamada síntese proteica, fator fundamental para estimular o crescimento dos músculos e gerar um aumento da massa muscular, deixando desta forma, o corpo mais definido.

 

Benefícios em estudo:

Bom para quem tem diabetes: Como a biotina ajuda a metabolizar melhor os carboidratos, alguns estudos apontam que a biotina pode ser interessante para diabéticos. Contudo, ainda são necessárias mais pesquisas para se comprovar este benefício.

Regulação dos Níveis de Açúcar: A biotina também tem entre as suas funções a manutenção de níveis de açúcar regulares no sangue. Essa manutenção, que evita momentos de excesso ou de escassez de açúcar, reduz a pressão sobre os níveis de insulina. Dessa forma, um dos benefícios da biotina é prevenir e reduzir a severidade da diabetes tipo 2.

Foi observado que diabéticos costumam ter níveis um pouco menores de biotina no sangue quando comparados com adultos saudáveis e alguns estudos – como o publicado em 2008 na revista Diabetes Metabolism Research and Reviews – indicam que suplementos de biotina combinados com cromo podem ajudar a reduzir os níveis de glicose no sangue em pacientes diabéticos.

 

DEFÍCIÊNCIA DA BIOTINA NO CORPO:

A deficiência de biotina é extremamente incomum porque este nutriente está muito presente na alimentação. Contudo, quando acontece os sintomas da ausência do nutriente são: fraqueza nas unhas e cabelos, calvície, pele seca e escamosa e vermelhidão em volta do nariz e da boca. Outras complicações que podem ocorrer são conjuntivite, dermatite exfoliativa, dores musculares e lassidão, acompanhada de aumento da glicemia.

É raro que uma pessoa tenha carência de Vitamina B7 em seu organismo. Exceto em casos como a falta da nutrição com alimentos que tem a Biotina presente.

Quando ocorre, a presença insuficiente causa algumas consequências e sintomas no corpo.

Um desses sintomas é a aparição de erupções cutâneas ao redor da boca, olhos e nariz.

Distúrbios neurológicos também podem ser desenvolvidos por conta da carência de Vitamina B7 no corpo. Um desses distúrbios neurológicos, por exemplo, é a letargia.

Crianças com insuficiência de Biotina podem ter um crescimento lento e ainda estão sujeitas a desenvolver um comportamento mais retraído.

Sintomas:

Os  sintomas típicos de deficiência da vitamina são alergias de pele, oleosidade ou ressecamento em excesso, prisão de ventre e, em casos mais extremos, alucinações, depressão e letargia. Além disso, algumas pessoas possuem naturalmente a deficiência de biotina por fatores genéticos, que leva a quedas constantes na imunidade. 

 BIOTINIDASE:

A deficiência de biotinidase (DBT) é um erro inato do metabolismo, de origem genética e herança autossômica recessiva que consiste na deficiência da enzima biotinidase, responsável pela absorção e regeneração orgânica da biotina, uma vitamina existente nos alimentos que compõem a dieta normal, indispensável para a atividade de diversas enzimas.

Existem duas formas da doença de acordo com a atividade residual da biotinidase a deficiência total e a parcial.

Causas:

A doença é causada por um erro genético de herança autossômica recessiva que interfere na capacidade do organismo de obter a vitamina biotina a partir dos alimentos.

Sinais e sintomas:

Normalmente a doença se manifesta a partir da sétima semana de vida do recém-nascido com distúrbios neurológicos e cutâneos tais como crises epiléticas, hipotonia, microcefalia, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, alopecia e dermatite eczematoide. Os pacientes de diagnóstico tardio apresentam distúrbios visuais, auditivos, assim como, atraso motor e de linguagem.

Diagnósticos:

O diagnóstico precoce da deficiência de biotinidase só é possível pela realização do exame de triagem neonatal, conhecido como teste do pezinho. Este exame laboratorial, feito a partir do sangue coletado do calcanhar do recém-nascido em papel filtro, entre o 3º e o 5º dia de vida, permite avaliar o nível da atividade da enzima biotinidase.

O resultado positivo indica que a atividade da enzima está baixa, o que representa suspeita para a doença. Neste caso, nova amostra de sangue em papel filtro deve ser colhida. Diante de um segundo resultado alterado, a criança é encaminhada para consulta médica e o tratamento já é iniciado.

No terceiro mês de vida, uma nova amostra de sangue é colhida para confirmar ou afastar a suspeita de deficiência de biotinidase a partir de um teste quantitativo.

Os resultados do teste quantitativo podem apontar:

  • Deficiência de biotinidase profunda: atividade da enzima menor que 10% da atividade média normal.
  • Deficiência de biotinidase parcial: atividade da enzima encontra-se entre 10% a 30% da atividade média normal.

O diagnóstico torna possível o início imediato do tratamento, o que evita a manifestação da doença e garante que a criança cresça e se desenvolva normalmente.

 

Tratamento:

O tratamento deve ser instituído logo após o diagnóstico da doença e consiste em suplementação oral de biotina livre (disponível em cápsula, comprimido e preparação líquida) ao longo de toda vida.

USO DA BIOTINA PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA:

Efeitos colaterais:

Apesar de serem extremamente raros, os efeitos colaterias da biotina podem ser descritos como:

  • desconforto gastrointestinal leve;
  • irritação na pele;
  • náuseas;
  • diarreia.

Caso você apresente algum desses sintomas, é importante procurar uma especialista para verificar se a dose que você está ingerindo da vitamina é adequada para o seu quadro.

Riscos do consumo em excesso:

O consumo excessivo de biotina só ocorre por meio da suplementação e não tem grandes complicações, pois o nutriente é excretado pela urina.

Overdose de Biotina:

Felizmente, doses muito altas de biotina não demonstraram nenhum efeito negativo em testes clínicos. Trata-se de uma substância possivelmente segura mesmo em quantidades extremamente altas.

Mesmo doses consideradas muito altas de até 300 mg (o equivalente a 300.000 mcg) não causam efeitos colaterais sérios. Isso é explicado pelo fato de a biotina ser solúvel em água, o que facilita a eliminação de excessos por meio da urina.

Ainda assim, um estudo publicado em 2016 no The New England Journal of Medicine relatou casos de alterações em exames da tireoide em crianças que usaram doses elevadas de biotina. Essas alterações podem imitar diversos sintomas da doença de Graves, um distúrbio sério da tireoide.

De qualquer forma, uma vez que não se sabe a partir de qual nível a biotina se torna perigosa, recomenda-se que a suplementação seja feita apenas com o objetivo de atingir as necessidades diárias.

Contraindicações:

Quem não deve usar. O suplemento de biotina não deve ser usado em pessoas com hipersensibilidade a qualquer componente presente na fórmula. Além disso, também não deve ser utilizado em grávidas ou mulheres que estejam a amamentar, a não ser que seja recomendado pelo médico.

DUVIDAS SOBRE O USO:

Como tomar o biotina:

Ao tomar suplementos de Vitamina B7 é importante observar a indicação do fabricante. Em geral se recomenda que o usuário tome uma ou duas cápsulas da Vitamina B7 ao dia, preferencialmente antes das refeições.

Mesmo assim, é importante levar em conta as informações de valor diário da vitamina por cápsula. Pois assim é possível ajustar a quantidade de suplemento diário conforme a necessidade da pessoa.

Lembrando que menores de 18 anos, gestantes e lactantes, só devem tomar suplementos com a devida recomendação de um médico.

Quando consumir a biotina:

As quantidades diárias de biotina variam de acordo com a faixa etária. Mas, em média, um adulto deve consumir 0,0019 mg por dia. Contudo, esses níveis precisam ser ajustados por um nutricionista.

Quantidade recomendada da biotina por dia:

A quantidade de Vitamina B7 que uma pessoa precisa tomar varia de acordo com a sua idade.

  • Bebês de 0 a 6 meses devem consumir 5 mcg ao dia;
  •  Bebês de 7 a 12 meses devem consumir 6 mcg ao dia;
  • Bebês de 1 a 3 anos devem nutrir-se com 8 mcg ao dia;
  • Crianças de 4 a 8 anos devem consumir 12 mcg ao dia;
  • Crianças de 9 a 13 anos devem ingerir 20 mcg ao dia;
  • Adolescentes de 14 a 18 devem consumir cerca de 25 mcg ao dia da Vitamina B7;
  • Adultos a partir de 19 anos devem consumir 30 mcg ao dia da Biotina;
  • Gestantes e lactantes devem consumir cerca de 35 mcg ao dia.

As quantidades diárias necessárias de biotina aumentam conforme o crescimento, começando no nível de 0,0005mg (5 mcg), que é válido até os 6 meses de idade. A partir desse ponto, as necessidades diárias aumentam até os 19 anos de idade, quando se estabilizam em 0,0019mg (19 mcg) para homens e mulheres pelo resto da vida.

As mulheres gestantes devem continuar obtendo 0,0019mg por dia, enquanto as lactantes precisam diariamente de 0,0035mg (35 mcg).  Além disso, é importante lembrar que a biotina é uma vitamina hidrossolúvel, e por isso não pode ser armazenada pelo corpo. É importante que as quantidades diárias sejam regularmente obtidas. Como os excessos da vitamina não fazem mal, a regra geral é usar de 30 a 100 mcg por dia de biotina de acordo com as suas necessidades individuais.

Vale ressaltar que no caso da necessidade de suplementação, gestantes, lactantes e crianças até 3 anos só podem tomar suplementos sob estrita recomendação médica.

Qual é o melhor horário para tomar biotina:

Recomenda-se  tomar junto com alguma refeição. 30 minutos antes das refeições é o mais indicado, porém fica a seu critério.

Biotina no shampoo:

Muitas pessoas buscam comprar shampoos que tenha a biotina ou compra uma ampola da vitamina e adicionam ao shampoo. Ainda não se tem nenhuma comprovação científica que isso realmente traga benefícios. Mas acredita que esse tipo de uso, pode ajudar a fortalecer as fibras capilares, contribuindo para o crescimento do cabelo.

SUPLEMENTO DE BIOTINA:

O suplemento de biotina só é orientado quando a pessoa manifesta sintomas da ausência deste nutriente. A suplementação só pode ser realizada por um nutricionista ou médico nutrólogo.

O uso da biotina:

A biotina, também conhecida como vitamina B7, vitamina H ou coenzima R, é uma vitamina hidrossolúvel utilizada como suplemento vitamínico ou no tratamento para pele, unhas e cabelo.

A recomendação diária de biotina é de 30 a 100 mcg para adultos e de 25 a 30 mcg para crianças entre 4 e 10 anos, podendo ser obtido por meio da ingestão de alimentos ricos nessa vitamina ou através de um suplemento nutricional.

Suplemento:

Não existe uma dose recomendada de biotina, por isso é recomendada a sua ingestão conforme as orientações do médico ou do nutricionista, já que a quantidade de biotina pode variar de acordo com a marca do suplemento. No entanto, a única dose que foi experimentada por via oral em humanos para fortalecer as unhas e cabelos foi de 2,5 mg por dia durante 6 meses.

Além do suplemento de biotina, também existem shampoos que contém essa vitamina e apesar de não serem cientificamente comprovados que ajudem  fortalecer o cabelo, acredita-se que seu uso diário poderia fortalecer as fibras e favorecer o seu crescimento.

Alimentos com biotina:

Consumir diariamente alimentos ricos em biotina como amendoim, avelã, farelo de trigo, noz picada, ovo cozido, pão integral, amêndoa, entre outros, também pode ajudar a combater a queda de cabelo e fazer o cabelo crescer mais rápido.

Combinações:

Para proporcionar os benefícios mencionados, a biotina precisa ser ingerida com as outras vitaminas do complexo B. Além disso, é importante que ela faça parte de uma dieta balanceada.

Efeitos de tomar Biotina com outros remédios:

Anticonvulsivantes, como a carbamazepina, fenobarbital, fenitoína e a pirimidona, são antagonistas da biotina, os quais podem levar a uma menor absorção da biotina e, consequente, à redução dos níveis séricos desta vitamina quando administrados ao mesmo tempo. Portanto, Biotina deve ser utilizado com cautela nos pacientes que fazem uso de anticonvulsivantes.

 

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGIAS:

A biotina é cofator nas reações da carboxilase que participa da síntese de ácidos graxos, nucleotídeos, purinas e no metabolismo das cadeias de aminoácidos. Existem apenas 4 carboxilases nos tecidos dos animais e as ações da biotina como coenzima produzem uma cascata de acontecimentos metabólicos. A biotina afeta a expressão do gene através da reação que ocorre quando ocorre a ligação covalente com as histonas nos núcleos das células. A vitamina regula a síntese da enzima glucoquinase, cuja atuação é altamente específica para glicose.

A deficiência de biotina afeta, principalmente, a pele e os cabelos. Na deficiência de biotinidase, a biotina não pode ser liberada a partir de pequenos biotinilpeptídios e da biocitina, presentes em alimentos, como leite, ovos, carne, nozes e arroz integral. Essa vitamina é cofator de diversas enzimas carboxilases, envolvidas na síntese de ácidos graxos, no metabolismo da isoleucina e valina bem como na gliconeogênese. Assim, pacientes com DB são incapazes de reciclar a biotina endógena ou usar a biotina ligada às proteínas da dieta. Consequentemente, a biotina é perdida na urina, principalmente sob a forma de biocitina, ocorrendo o esgotamento progressivo.

Em estudo realizado com administração oral de biotina em dosagens de 600 e 900 mg, concluiu-se que a meia-vida de eliminação é de aproximadamente 1 hora e 50 minutos. A biotina administrada por via oral tem biodisponibilidade sistêmica em torno de 50% da sua dose ingerida. A absorção ocorre no intestino delgado, que obtém a biotina a partir de algumas fontes: dieta, suplementos e síntese realizada por bactérias no próprio intestino grosso. A biotina provinda dos alimentos aparentemente é transportada para dentro dos enterócitos por um transportador sódio dependente.

Em doses mais elevadas de biotina, a absorção ocorre através de difusão passiva. A absorção da biotina produzida pela microflora do cólon ocorre através de um processo mediado por um transportador no intestino grosso proximal. A absorção é maior no jejuno do que no íleo.

A biotina é intensamente metabolizada no fígado, já que este órgão é a principal fonte de biotinidase, a enzima que não só é importante no reaproveitamento da biotina endógena, como também atua na biotina ligada à proteína. Seus metabólitos principais são a bisnorbiotina e o sulfóxido de biotina que são considerados inativos.

A biotina é eliminada principalmente através da urina.

A eliminação pelo leite materno não é conhecida e não há evidências científicas para o uso seguro da biotina durante a lactação.

O mecanismo de ação da biotina no tratamento das unhas frágeis, não é totalmente elucidado, entretanto, acredita-se que a vitamina pode ser um estimulante da queratinização, o que justificaria seu uso na restauração da saúde e da força das unhas. Como os mamíferos não podem sintetizar biotina, a vitamina deve ser obtida a partir da dieta e do reaproveitamento da biotina endógena.

A Ingestão Diária Recomendada (IDR) de biotina em adultos é de 30 μg. Visando o manejo dos estados carenciais, o nível máximo seguro de suplementação da biotina é de 2,5 mg. Não há dados relacionados a ajuste de dose em indivíduos portadores de insuficiência hepática ou renal.

Assim, no tratamento das unhas frágeis, a dosagem que deve ser administrada é de 2,5 mg de biotina, uma vez ao dia por, pelo menos, um mês.

O tratamento da deficiência de biotinidase consiste na reposição oral de biotina. As doses utilizadas para esta indicação variam de 5 a 10 mg/dia, ao longo de toda a vida.

 

PERGUNTAS FREQUENTES:

Qual é a função da biotina?

Quando ingerida pelo organismo, a Vitamina B7 - Biotina estimula o corpo a produzir mais queratina. E com isso ela ajuda a tratar das unhas e cabelos, deixando-os mais fortes e saudáveis. Indiretamente, essa estimulação da produção de queratina também ajuda a pele.

O que é biotina capilar?

Também conhecida como vitamina B7 ou H, a biotina faz parte do complexo B e está ligada ao metabolismo das gorduras, das proteínas e dos carboidratos no organismo, sendo também uma ótima fonte de regeneração para os cabelos, a pele e as unhas.

Qual é o melhor horário para tomar biotina?

È recomendado tomar junto com alguma refeição. 30 minutos antes das refeições é o mais indicado, porém fica a seu critério.

Qual é a dose diária de Biotina que devemos consumir?

  • Bebês a partir de 6 meses a um ano, precisam de 6mcg, de um ano a três 8mcg.
  • Crianças de 4 a 8 anos 12mcg, de 9 a 13 anos 20mcg.
  • Adolescentes de 14 a 18 anos 25mcg e adultos necessitam de 30mcg diariamente.
  • Já gestantes e lactantes precisam de uma dose diária de 35mcg.

Biotina pode ajudar a emagrecer?

Sim, quando aliada a uma dieta equilibrada, a Biotina pode ajudar no processo de emagrecimentos, já que ela pode acelerar os processos metabólicos que acontecem no organismo. E com isso, pode gerar uma perca maior de peso.

Qual é a relação da Biotina com a produção de colágeno?

Muitas pessoas acham que a Biotina tem relação com a produção de colágeno, mas ela não tem. Apesar de ambos serem importantes para manter uma pele linda e saudável, eles não têm relação. A Biotina, atua no metabolismo dos lipídios, proteínas e dos carboidratos, evitando que a pele sofra ressecamento e por isso, melhora seu aspecto, contribuindo para uma pele mais bonita.

Biotina é bom para unhas e barba?

Sim, ela melhora o aspecto das unhas, barbas, cílios e sobrancelhas.

Biotina é bom para o cabelo?

Ela é excelente, pois evita a queda, diminui a caspa, melhora a circulação sanguínea no couro cabeludo, fazendo com que o cabelo cresça mais rápido. Também ajuda a prevenir cabelos brancos, pois mantém os fios com todos os nutrientes necessários.

Quais alimentos tem a Biotina?

Os principais alimentos que pode ser encontrada a Biotina é no amendoim, nozes, avelã, tomates, cebola, alface, cenoura, gema do ovo, farelo de trigo, amêndoa e couve-flor. Alimentos de origem animal como carne vermelha, fígado de boi, no leite e seus derivados, e o pão integral, também contém a Biotina.

Dentro esses alimentos os cinco que contém mais biotina são:

Amendoim com 101,4 μg por 100 gramas, avelã tem 75 μg, o farelo de trigo tem 44,4 μg, amêndoa 43,6 μg e o farelo de aveia tem 3,5 μg. Lembrando que todas essas quantidades são em porções de 100 gramas.