O que é infertilidade?

Infertilidade é a incapacidade de engravidar sem contracepção após 12 meses de relação sexual. Após um ano de teste, cerca de 85% dos casais estão grávidas, e 1 em cada 6 casais tem um filho com dificuldade e precisa de ajuda médica para identificar e tratar as possíveis causas da infertilidade conjugal. 

A infertilidade é uma doença do sistema reprodutor que pode afetar homens e mulheres. Por isso, o casal enfrenta o problema na unidade, participa da fase de consulta e tratamento, o que definitivamente mudará o desfecho.

Afeta aproximadamente 7 milhões de casais, o que significa que 15% dos casais são inférteis. Além disso, devido ao aumento dos casos de endometriose, à tendência das mulheres em adiar o parto e ao declínio da qualidade do sêmen nas últimas décadas, esse índice vem aumentando nos últimos anos.

 

Principais causas da infertilidade:

A causa mais comum de infertilidade masculina é a azoospermia, que é o estado em que o corpo humano não produz esperma. Após a ejaculação, o sêmen não contém células germinativas masculinas. Outra situação semelhante é a oligospermia. Nesse caso, o homem vai produzir esperma, mas o número é pequeno ou não é saudável.

Outra causa da infertilidade masculina são as doenças genéticas, como fibrose cística e anomalias cromossômicas.

A principal causa da infertilidade feminina são os distúrbios da ovulação, pois afetam a produção de óvulos. Trompas de Falópio bloqueadas, endometriose, adenomiose, problemas congênitos ("de nascença") e fibrose uterina também estão associados à infertilidade e aborto espontâneo contínuo. Além disso, o envelhecimento afetará a capacidade de reprodução.

Fatores de risco:

Doenças sexualmente transmissíveis: A prevenção é o melhor cuidado e o tratamento rápido no diagnóstico.

Idade: Pode reduzir o número e a qualidade dos óvulos e espermatozoides. Mulheres com menos de 30 anos têm 25% de chance de engravidar, enquanto mulheres com mais de 40 anos têm apenas 5%. Aos 35 anos, cerca de 8% das mulheres não têm mais ovos. Conforme as mulheres envelhecem, as chances de aborto espontâneo e síndrome cromossômica também aumentam.

Tabagismo: Estudos demonstraram que as substâncias do cigarro podem reduzir a fertilidade.

Outros fatores: Estresse, desnutrição, drogas e álcool também podem causar alterações hormonais e reduzir a fertilidade.

Exames e diagnóstico:

Para diagnosticar a infertilidade, o primeiro teste para homens é um teste de esperma, que pode detectar a qualidade e a quantidade de espermatozóides para determinar mais da metade das causas de infertilidade em casais. Esta é uma inspeção muito simples e não invasiva, por isso geralmente precisa ser solicitada primeiro.

Se o resultado for negativo, o médico investigará o histórico médico da mulher para ver se ela ovula e menstrua regularmente e se há algum sinal de que sua pelve está infectada com as trompas de falópio. Cólicas menstruais podem ser um sinal de endometriose, o que torna a gravidez difícil. Os exames laboratoriais e de imagem podem determinar se uma mulher está ovulando normalmente ou se o colo do útero tem problemas que dificultam a concepção.

Com base nos resultados obtidos, o médico determinará o tipo de tratamento necessário para o casal engravidar.

Tratamento da infertilidade:

O tratamento da infertilidade masculina e feminina depende da causa do problema. Antibióticos, injeções de hormônios ou cirurgias necessárias podem ser usados ​​para resolver os problemas nos órgãos e reprodutores.

Se a infertilidade não for resolvida, também podem ser utilizadas técnicas de inseminação artificial, em que o esperma é colocado diretamente no útero feminino, ou se utiliza fertilização in vitro, fertilização in vitro, os embriões são produzidos em laboratório e depois implantados no útero feminino.