Colágeno Deficiência

4 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Descendente

4 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Descendente

O QUE É:

O colágeno é uma proteína de rápida absorção e pode ser encontrada naturalmente no organismo. Ele ainda contribui para a elasticidade e resistência da pele, para a saúde das unhas e cabelos e é responsável por constituir as fibras que sustentam os tecidos do corpo como ossos, músculos, tendões e articulações.

FONTE DE COLÁGENO:

O colágeno é um produto de origem animal, e é basicamente extraído da pele, cartilagens e tendões de aves, suínos e bovinos.

Há um processo de agregação de água ao colágeno animal, chamado de hidrólise, obtendo-se assim o colágeno hidrolisado, em forma de pó branco.

TIPOS DE COLÁGENOS:

Colágeno tipo I:

É o mais comum de ser encontrado, principalmente em locais que recebe grandes tensões e precisam de mais resistências, como na cartilagem fibrosa, nos tendões, no tecido conjuntivo frouxo e denso, nos ossos, na derme e até mesmo na córnea. Ele sempre forma feixes e fibras de colágeno espessas, organizadas paralelamente.

Colágeno tipo II:

Estruturalmente não é possível diferenciar o colágeno II do tipo I: ele também pode ser encontrado em regiões que resistem a maiores pressões, como na cartilagem hialina e elástica, nos olhos e nos discos intervertebrais.

Sua síntese ocorre no condrócito,  ou seja, nas células presentes no tecido cartilaginos e não produz feixes. Além disso, o tipo II do colágeno é mais indicado para o tratamento de artrose, pelo fato de que essa proteína ajuda a restabelecer a cartilagem das articulações.

Colágeno tipo III:

Está presente no músculo liso e em abundância no tecido conjuntivo frouxo, constituindo as fibras reticulares. Também pode ser encontrado no endoneuro, na artéria aorta do coração, nas trabéculas dos órgãos hematopoieticos, nos pulmões, no fígado, no útero e nos músculos do intestino.

Colágeno tipo IV:

Esse tipo está localizado na lâmina basal, nos rins, nos glomérulos e nas lentes da cápsula do cristalino. Ele não se associa nas fibras delgadas e muito pequenas, e tem a função de filtração e sustentação.

Colágeno tipo V:

Pode ser associado ao tipo I, pois também está presente em regiões que recebe grandes tensões. Ele ainda é responsável por oferecer aos tecidos do corpo a possibilidade de esticar e resistir a diversos fatores. Pode ser encontrado no sangue, nos tendões, nos ossos, na placenta e também na pele.

Colágeno tipo VI:

Está presente na maior parte dos tecidos conjuntivos, sendo encontrado na camada íntima da placenta, no sangue, na pele e nos discos intervertebrais.

Colágeno tipo VII:

Encontra-se nas membranas e células corioamnióticas, na placenta e também na junção dermo-epitelial.

Colágeno tipo VIII:

Está localizado nas células do endotélio — membrana epitelial que reveste a parte interior dos vasos sanguíneos.

Colágeno tipo IX:

Esse tipo está associado ao colágeno do tipo II, já que pode ser encontrado na retina, nas córneas e na cartilagem, sendo um componente proteico dos órgãos. Sua função é manter as células juntas, oferecendo resistência às eventuais pressões.

Colágeno tipo X:

O colágeno tipo X está localizado na zona das cartilagens hipertróficas, onde os condrócitos estão maiores, com citoplasma abundante em glicogênio.

Colágeno tipo XI:

Esse tipo de colágeno é encontrado nos discos intervertebrais e interage com os tipos II e XI.

Colágeno tipo XII:

Está associado com os tipos I e III, e pode ser localizado em regiões que recebe altas tensões — como nos ligamentos e tendões.

Colágeno nativo:

O colágeno nativo é insolúvel obtido de diversas espécies animais para a produção de suplementos de colágeno.

No Brasil, a maior parte do colágeno é proveniente dos subprodutos da indústria de carne, tal como do couro de curtume obtido dos resíduos da derme e do tecido subcutâneo de bovinos e suínos.

Essa versão de colágeno não é reduzida em partículas menores, mas serve de base para obter diferentes tipos de suplementos de colágeno.

Colágeno hidrolisado:

O colágeno hidrolisado, como já diz o nome, é o colágeno que passa pelo processo de hidrólise. Dessa forma, é quebrado em partículas menores para queseja absorvido rapidamente pelo corpo.

Esse tipo de colágeno é bastante procurado em farmácias para a suplementação, uma vez que melhora a aparência da pele e traz benefícios para as cartilagens e ossos.

O QUE É COLÁGENO HIDROLISADO:

 O colágeno hidrolisado é um suplemento de colágeno encontrado em pó ou em cápsula. Ele é feito a partir de restos de ossos e cartilagem bovina.

 

INDICAÇÃO DO COLÁGENO HIDROLISADO:

É indicado para pessoas acima de 30 anos. Como suplemento nutricional é indicado para pessoas fisicamente ativas que desejam aumentar o consumo de proteínas, assim como para o fortalecimento de unhas e cabelos. Também é indicado em processos de cicatrização e recuperação de lesões e em processos de emagrecimento.

BENEFÍCIOS DO COLÁGENO HIDROLISADO:

 

Ajuda a firmar a pele:

colágeno é uma proteína produzida pelo próprio corpo e fundamental para a pele. Ele dá firmeza e elasticidade ao tecido, prevenindo a aparição de rugas e estrias. O descompasso é que, com o passar da idade, o organismo começa a perder a substância (1% ao ano a partir dos 35, e 35% a partir dos 50 anos), fazendo com que a suplementação de colágeno se torne essencial, principalmente para as mulheres na menopausa.

Com a suplementação do colágeno hidrolisado, o organismo direciona a proteína para os tecidos carentes da substância. A ciência vem comprovando sua eficácia. Uma pesquisa da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, da USP, que avaliou os efeitos do colágeno hidrolisado em mulheres de 45 a 60 anos, mostra que após 90 dias de uso houve melhora progressiva na pele.

Fortalece ossos e articulações:

Os benefícios do colágeno hidrolisado vão além de manter a pele saudável e bonita. A proteína é capaz de auxiliar na prevenção da osteoporose e de outras doenças que atingem as articulações, diminuir as dores dos pacientes com osteoartrite (degeneração das cartilagens) e ser um tratamento complementar para doenças reumáticas, como a espondilite anquilosante.

A perda anual de colágeno a partir dos 35 anos interfere na densidade dos ossos, que tende a diminuir, e nas articulações, que se tornam mais frágeis. Como resultado, tendões e ligamentos ficam mais rígidos, ocasionando dores, desgastes e até rompimentos.

Acelera o metabolismo:

O colágeno também atua na recuperação muscular após atividade física e no aumento da massa magra, o que consequentemente acelera o metabolismo. Por ter digestão lenta, a proteína promove saciedade, adiando a fome.

A substância auxilia na reconstrução dos músculos, na manutenção e no aumento da massa magra. Quando utilizada em conjunto com atividade física regular, é capaz de reduzir o tempo de recuperação muscular entre os exercícios.

Deixa cabelos e unhas mais saudáveis:

O colágeno hidrolisado em pó ou cápsulas atua como um cosmético a favor da saúde do cabelo e das unhas.

A ação da proteína nos cabelos faz com que os fios fiquem mais resistentes e brilhantes, além de turbinar o crescimento. Para unhas frágeis, o colágeno atua como um suplemento fortalecedor, impedindo que quebrem com facilidade.

COLAGENOSE:

O que é: A colagenose, também conhecida como doença do colágeno, caracteriza-se por um grupo de doenças auto-imunes e inflamatórias que prejudicam o tecido conjuntivo do corpo, que é o tecido formado por fibras, como o colágeno, e é responsável por funções como preencher os espaços entre órgãos, dar sustentação, além de ajudar na defesa do corpo.

Como confirmar o diagnóstico: Para diagnosticar a colagenose, além da avaliação clínica, o médico poderá solicitar exames de sangue que identificam a inflamação e anticorpos presentes nestas doenças, como FAN, Mi-2, SRP, Jo-1, Ro/SS-A ou La/SS-B, por exemplo. Também pode ser necessária a realização de biópsias ou análises dos tecidos com inflamação.

Doenças: As alterações causadas pela colagenose podem atingir vários órgãos e sistemas do corpo, como pele, pulmões, vasos sanguíneos e tecidos linfáticos, por exemplo, e produzir sinais e sintomas principalmente dermatológicos e reumatológicos, que incluem dores nas articulações, lesões na pele, alterações na circulação sanguínea ou boca e olhos secos.

Algumas das principais colagenoses são doenças como:

Lúpus:

É a principal doença auto-imune, que provoca lesões em órgãos e células devido à ação de auto-anticorpos, e é mais comum em mulheres jovens, apesar de poder surgir em qualquer pessoa. Sua causa ainda não é completamente conhecida, e esta doença costuma se desenvolver de forma lenta e contínua, com sintomas que podem ser leves a graves, o que varia de pessoa para pessoa.

Sinais e sintomas: O lúpus pode causar uma grande variedade de manifestações clínicas, desde localizadas até disseminadas pelo corpo, que incluem manchas na pele, úlceras orais, artrite, alterações renais, distúrbios do sangue, inflamações nos pulmões e coração.

Esclerodermia:

É uma doença que causa acúmulo de fibras de colágeno no corpo, de causa ainda desconhecida, e afeta principalmente a pele e as articulações, podendo também atingir a circulação do sangue e outros órgãos internos, como pulmões, coração, rins e trato gastrointestinal.

Sinais e sintomas: 

Geralmente há espessamento da pele, que fica mais rígida, brilhante e com dificuldades circulatórias, que piora de forma lenta e contínua. Quando atinge órgãos internos, no seu tipo difuso, pode provocar dificuldades respiratórias, alterações digestivas, além de comprometimento das funções do coração e rins, por exemplo.

Síndrome de Sjögren: É outro tipo de doença auto-imune, caracterizada pela infiltração de células de defesa em glândulas do corpo, dificultando a produção de secreção pelas glândulas lacrimais e salivares. Esta doença é mais comum em mulheres de meia-idade, mas pode surgir em qualquer pessoa, podendo aparecer de forma isolada ou acompanhada de doenças como artrite reumatóide, lúpus, esclerodermia, vasculite ou hepatite, por exemplo.

Sinais e sintomas: Boca e olhos secos são os principais sintomas, que podem piorar de forma lenta e progressiva, e provocar vermelhidão, queimação e sensação de areia nos olhos ou dificuldade para engolir, falar, aumento de cáries dentárias e sensação de queimação na boca. Sintomas em outros locais do corpo são mais raros, mas podem incluir cansaço, febre e dores articulares e musculares, por exemplo.

Dermatomiosite: Também é um tipo de doença auto-imune que ataca e compromete os músculos e a pele. Quando afeta somente os músculos, também pode ser conhecida como polimiosite. A sua causa é desconhecida, podendo surgir em pessoas de todas as idades.

Sinais e sintomas: É comum haver fraqueza muscular, mais comum no tronco, dificultando movimentos dos braços e da bacia, como pentear os cabelos ou sentar/levantar. Entretanto, qualquer músculo pode ser atingido, provocando dificuldades para deglutir, movimentar o pescoço, andar ou respirar, por exemplo. As lesões na pele incluem manchas avermelhadas ou arroxeadas e descamações que podem piorar com o sol.

Porque acontece:

Ainda não há uma causa esclarecida para o surgimento do grupo de doenças auto-imunes que causam a colagenose.Apesar de estarem relacionadas com a ativação errada e excessiva do sistema imune, não se sabe exatamente o que origina esta situação.

É bem provável que existam mecanismos genéticos e, até, do ambiente, como hábitos de vida e alimentação, como causa destas doenças, entretanto, a ciência ainda precisa determinar melhor estas suspeitas através de mais estudos.

Como tratar a colagenose:

O tratamento de uma colagenose, assim como de qualquer doença auto-imune, depende do seu tipo e gravidade, e deve ser orientado pelo reumatologista ou dermatologista. Geralmente, envolve o uso de corticóides, como Prednisona ou Prednisolona, além de outros imunossupressores ou reguladores da imunidade mais potentes, como Azatioprina, Metotrexato, Ciclosporina ou Rituximab, por exemplo, como forma de controlar a imunidade e diminuir os seus efeitos no organismo.

Além disso, algumas medidas como proteção solar para evitar as lesões de pele, e colírios ou salivas artificiais para diminuir o ressecamento dos olhos e boca, podem ser alternativas para diminuir os sintomas.

A colagenose não tem cura, entretanto a ciência têm buscado desenvolver terapias mais modernas, baseadas no controle da imunidade com imunoterapia, para que estas doenças consigam ser controladas com mais eficácia. 

DEFICIÊNCIA DE COLÁGENO:

A deficiência de colágeno, também chamada de colagenose, acarreta problemas como: má formação óssea, rigidez muscular, problemas com o crescimento, inflamação nas juntas musculares, doenças cutâneas, entre outros.

A deficiência de colágeno está também associada à diminuição da espessura do fio capilar e com a desidratação e perda de elasticidade da pele, culminando em flacidez e no aparecimento de rugas e estrias. Além disso, prejudica as articulações e enfraquece os ossos.

COMO REPOR O COLÁGENO:

Já que com o tempo o organismo vai diminuindo a produção de colágeno, existe alguma forma de repor?

Sim, até existe, mas se for tomar o colágeno em forma de suplemento deve ser em boas quantidades e pro resto da vida. E dependendo de como for esse suplemento, se for de má qualidade, não irá fazer efeito algum. Além do suplemento de colágeno, existem duas formas eficientes para reposição, que são:

Proteína:

A melhor forma de repor o colágeno é na ingestão de proteínas. Como qualquer proteína que ingerimos, o colágeno é desmembrado em aminoácidos, através da digestão. Os aminoácidos são os "tijolos" da proteína: depois de digerida, a proteína, desmembrada na forma de aminoácidos, é recombinada da maneira que o corpo precisa, seja como tecido muscular, pele, unhas, cabelos ou colágeno.

O colágeno nada mais é que um tipo de proteína. Uma de suas principais funções é formar fibras que dão sustentação à pele (para quem se exercita, contribui também na formação dos músculos). Extraído do osso e da cartilagem do boi, o colágeno passa pelo processo de hidrólise (quebra das moléculas de proteína) para ser mais facilmente absorvido pelo organismo.

Gelatina:

Outra forma de reposição é a ingestão de gelatina. A gelatina é um produto feito a partir do colágeno e contém proteínas que, quando absorvidas pelo intestino, são parcialmente digeridas e fornecem aminoácidos fundamentais para a manutenção dos ossos e reconstituição de algumas articulações.

A gelatina contém 18 aminoácidos. O organismo humano necessita de 10 dos chamados aminoácidos essenciais, que são consumidos através dos alimentos. A gelatina contém 9 destes aminoácidos essenciais em uma proteína alimentícia de fácil digestão e utilização.

O aminoácido triptofano não está presente na gelatina; entretanto, isto não é muito significativo uma vez que este aminoácido é encontrado em quantidades adequadas em outros alimentos.

BENEFÍCIOS DA REPOSIÇÃO DE COLÁGENO:

  • Retarda o envelhecimento e previne rugas;
  • Combate a flacidez da pele;
  • Fortalece unhas e cabelo;
  • Contribui para saúde dos ossos;
  • Previne o aparecimento da celulite e estrias;
  • Colabora no aumento da tonicidade dos músculos;
  • Auxilia no funcionamento do sistema linfático.

BENEFÍCIOS:

  • Aumento da elasticidade e da firmeza da pele;
  • Prevenção do aparecimento de estrias e de rugas;
  • Fortalece os tecidos;
  • Protege os sistemas circulatórios;
  • Ajuda na construção muscular;
  • Ajuda na cicatrização;
  • Fornece mais hidratação ao corpo, dentre outros;
  • Fortalece as unhas e os cabelos;
  • Melhora o aspecto da pele, dando firmeza e hidratação;
  • Ajuda no tratamento contra flacidez;
  • Previne o envelhecimento precoce da pele;
  • Evita e protege os desgastes das articulações;
  • Auxilia no tratamento da osteoporose.

REPOSIÇÃO DE COLÁGENO EM VEGETARIANOS:

Como o colágeno está presente em produtos de origem animal, os vegetarianos precisam ser bem cuidadosos na hora de montar o prato para não ter deficiência desta proteína essencial à saúde.

Os precursores de colágeno citados acima não podem faltar, e a maior dificuldade reside na obtenção de lisina, pois a prolina é sintetizada pelo corpo a partir de outros aminoácidos.

Os ovolactovegetarianos não têm problema para obter lisina, pois ovos e laticínios são excelentes fontes do aminoácido.

Algumas opções para os veganos:

  • Seitan (bife de glúten de trigo)
  • Proteína de soja (leite, tofu e carne de soja)
  • Ervilha
  • Lentilha
  • Feijões
  • Levedo de cerveja
  • Oleaginosas
  • Manteiga de amendoim

Neste caso, é importante consultar um especialista para saber a quantidade indicada de cada alimento para obter níveis adequados de lisina.

COLÁGENO PARA ATLETAS:

Uma metanálise de 2018 analisou o efeito do colágeno hidrolisado para ajudar a tratar a dor articular em atletas e naqueles que sofrem de osteoartrite. Publicada no British Journal of Sports Medicine, a pesquisa examinou vários suplementos usados ​​para osteoartrite e identificou o colágeno como um dos que “demonstrou efeitos clinicamente importantes para a redução da dor a médio prazo”. No entanto, a longo prazo, os suplementos parecem não ajudar mais do que um placebo.

ONDE ENCONTRAR COLÁGENO:

Salmão: 

O salmão contém zinco, um mineral que demonstrou ativar as proteínas necessárias para a síntese de colágeno.

O salmão também é uma excelente fonte de ômega 3 ácidos graxos essenciais, que são necessários para reduzir a inflamação e construir células saudáveis da pele. Gorduras saudáveis, como o ômega 3, também são necessárias para manter a pele hidratada de dentro para fora, o que naturalmente promove uma aparência mais jovem.

Folhas verdes:

Sabemos que os vegetais verdes são alguns dos alimentos mais densos em nutrientes do planeta para a prevenção de doenças, mas também podem ser uma maneira poderosa de prevenir o colapso do colágeno.

Todos os alimentos vegetais verdes (como algas verdes, rúcula, couve, alface, feijão verde e brócolis) contêm clorofila, que é o pigmento que dá às plantas sua cor verde vibrante. Estudos mostraram que o consumo de clorofila aumenta o precursor do colágeno (procolágeno) na pele.

Frutas cítricas:

A vitamina C ajuda a “unir” os aminoácidos que são necessários para formar o colágeno, como a prolina, o que o torna um nutriente essencial na fase de pré-produção de colágeno.

Como antioxidante, a vitamina C também protege contra as toxinas encontradas em nosso suprimento de ar, alimentos e água, que contribuem para quebrar o colágeno e danificar a camada interna da pele. A vitamina C também pode ajudar no reparo e regeneração de células da pele, e é por isso que ela é comumente recomendada para prevenção de rugas e adicionada a produções de cuidados com a pele.

Ovos:

Ovos de galinha são um dos alimentos raros que realmente contém colágeno na gema e membranas casca de ovo. Na verdade, suplementos de membrana de casca de ovo se tornaram um remédio natural popular para melhorar a saúde das articulações devido ao seu conteúdo de colágeno. Os ovos também são ricos em enxofre, um mineral necessário para a produção de colágeno.

Frutas vermelhas:

Bagas contêm um nutriente chamado ácido elágico, que serve para impedir a colapso do colágeno de dano UV . Além de proteger contra os sinais de envelhecimento, as frutas vermelhas também podem ajudar a produzir colágeno. Como as frutas cítricas, as frutas são ricas em vitamina C, que, como você já sabe, ajuda a vincular aminoácidos específicos para a formação de colágeno.

QUANDO USAR COLÁGENO:

Os suplementos de colágeno devem ser usados quando a concentração desta proteína diminui no corpo, causando sintomas como:

  • Diminuição da espessura dos fios de cabelo;
  • Aumento da flacidez e perda de elasticidade da pele;
  • Surgimento de rugas e de linhas de expressão;
  • Aparecimento de estrias;
  • Pele fina e desidratada;
  • Diminuição da densidade dos ossos como nos casos de osteopenia e osteoporose por exemplo;
  • Enfraquecimento das articulações e dos ligamentos.


Quando estes sintomas estão presentes, pode ser necessária a suplementação com suplementos de colágeno como BioSlim ou Collagen, que vão ajudar a balancear os níveis de colágeno no corpo.

Além disso, estes produtos ricos em colágeno podem ser especialmente importantes a partir dos 50 anos de idade, quando ocorre uma redução drástica na produção de colágeno, o que ao longo do tempo leva a uma aparência cada vez mais envelhecida. Porém, estes produtos apenas devem ser usados com acompanhamento do seu médico ou nutricionista, pois muitos suplementos de colágeno hidrolisado apresentam uma combinação de diferentes aminoácidos, vitaminas e minerais.

MANTER O COLÁGENO NA PELE:

Além que comer proteínas, existem algumas vitaminas e minerais que nutrem e mantêm nossa pele saudável. Essas vitaminas e minerais ajudam o corpo a continuar produzindo o colágeno naturalmente:

Zinco: Regenera a pele e controla a secreção sebácea, sendo interessantíssimo para quem tem acne ou pele oleosa. Ajuda a clarear a pele, e ainda é fundamental para a proteção do colágeno e a elastina. Entenda mais sobre o zinco.

Silício: Atua na formação de colágeno, fibroblastos e elastina, por isso regenera e reestrutura a pele. O silício é o mineral que dá sustentação à pele. Sem ele, a pele literalmente se desintegraria. Protege a pele contra o envelhecimento.

Enxofre: É chamado de “mineral da beleza”, pois mantém a pele macia e jovem. O enxofre é necessário para a produção de colágeno e queratina, proteínas necessárias para a saúde e manutenção da pele, unhas e cabelos. O enxofre pode ser a chave para ajudar as pessoas em certos tipos de acne. O enxofre ajuda a amaciar e embelezar a pele e no processo de cicatrização e nas marcas deixadas pela acne.

Vitamina A: A vitamina A renova a pele.  Também chamada de retinol, ajuda na saúde da pele pois tem ação antioxidante e auxilia na restauração de lesões na pele.  Esse nutriente também balanceia a produção de secreções das glândulas sebáceas, dificultando que os poros fiquem entupidos e inflamados.

Vitamina B3: É uma das maiores amigas da pele. Seus benefícios vão desde o clareamento das manchas até a proteção contra a desidratação e contra a acne. Nas peles oleosas a niacinamida equilibra a produção de sebo; nas peles secas, aumenta a produção de ceramidas e garante a hidratação fisiológica da pele; nas peles com manchas, clareia através de um efeito iluminador.

Vitamina C: É importante para a formação adequada do colágeno da derme e das paredes dos vasos sanguíneos. A Vitamina C é fundamental para a manutenção e cicatrização da pele.

Vitamina E: Um dos mais potentes antioxidantes disponíveis para a pele, tanto em cápsulas quanto em cosméticos, a vitamina E é capaz de varrer um dos mais perigosos tipos de radicais livres que existem, o chamado radical peróxido. Ele protege a pele contra a radiação solar, contra as toxinas da poluição e evita o envelhecimento precoce.

Ômega 3: As gorduras também fazem muito bem à pele, deixa mais bonita e evita o ressecamento. Uma quantidade adequada de ômega 3 exerce um papel foto protetor da pele, devido as suas propriedades anti-inflamatórias. O ômega-3 bloqueia as células da pele, estimulando a produção de colágeno e forte fibras de elastina, que contribuem para uma pele mais jovem. Saiba mais sobre o ômega 3.

ESTUDOS SOBRE O COLÁGENO:

Aumento da massa muscular: Um estudo de 2015 feito com homens idosos mostrou que uma combinação de suplementos de peptídeos de colágeno e treinamento de força aumentou mais a massa muscular e força do que um teste placebo.

Artrite: Outro estudo mostrou que pessoas com osteoartrite que consumiram suplemento de colágeno apresentaram um declínio significativo na dor durante um período de 70 dias, em comparação com aqueles que tomaram um suplemento placebo.

Elasticidade da pele: Mulheres que ingeriram suplemento de  colágeno mostraram melhorias na elasticidade da pele.

Melhora a saúde cardiovascular: Um estudo publicado em 2017 por cientistas japoneses comprovou essa relação. O grupo de pesquisadores observou 31 adultos que tomaram 16 gramas diárias de colágeno por seis meses. Todos apresentaram artérias mais robustas e firmes no final, e ainda foi possível notar redução de colesterol na corrente sanguínea.

Pode prevenir a perda de massa óssea: Um estudo publicado em 2015 na Revista de Alimentação Medicinal (Journal of Medicinal Food), comprovou melhoras significativas na perda de densidade óssea a partir de uma dieta concentrada em cálcio e colágeno para mulheres após a menopausa.

Na pesquisa, 39 mulheres foram divididas em dois grupos: um tomava 500mg cálcio; e outro complementava a carga de cálcio com a ingesta de 5g de colágeno. Ao final de 12 semanas, o grupo que complementou com colágeno mostrou melhoras significativas em densidade óssea e apresentou menor quantidade de marcadores específicos no sangue, que promovem a deterioração dos ossos.

Colágeno na prevenção e tratamento de doenças: Diversos estudos demonstram que a ingestão de colágeno hidrolisado pode auxiliar no tratamento da deficiência de cálcio e aumentar a densidade óssea, contribuindo para a prevenção da osteoporose. As pesquisas também indicam que o colágeno hidrolisado reduz a dor em pacientes que sofrem de osteoartrite e tem potencial para redução de radicais livres e contra a hipertensão.

SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS:

Para a firmeza da pele:

Composição: Licopeno, vitamina C, vitamina E e flavonoides.
Alimentos correspondentes: 6 colheres de arroz branco, 1 concha de feijão, 1 bife de carne vermelha, 1 pires de couve manteiga refogada, 1 pires de salada de alface, tomate, cebola e 2 amêndoas.

Para a proteção e bronzeado da pele:
Composição: Betacaroteno e flavonoides.
Alimentos correspondentes: 1 prato de macarronada bolonhesa, 1 pires de salada de agrião com trigo à vinagrete, 1 copo de suco de laranja com cenoura.

Para fortalecimento do cabelo e das unhas:
Composição: Biotina e flavonoides.
Alimentos correspondentes: 6 colheres de arroz integral, 1 concha de soja, 1 bife de fígado acebolado, 4 colheres de abóbora refogada com 1 colher de farelo de trigo, 1 pires de salada de rúcula, pepino e tomate seco.

APLICAÇÃO COSMÉTICA:

O colágeno é uma proteína "mágica" para deixar a pele mais firme. Alguns dermatologistas já provaram que, ao usar produtos de beleza que levam o composto em sua fórmula, a pele torna-se mais macia, firme e saudável. O colágeno também ajuda na manutenção do tônus muscular deixando a pele mais firme e menos flácida.

COLÁGENO EM CÁPSULAS:

O colágeno hidrolisado em cápsulas a forma mais fácil e rápida de suplementar colágeno, pois, além de ser produzido com um tipo de colágeno muito bem absorvido e aproveitado pelo organismo humano, possui a comodidade de ser encontrado em cápsulas que podem ser ingeridas facilmente, onde quer que você esteja.

O colágeno hidrolisado em cápsulas Nutriblue proporciona ainda mais benefícios. Além de ser superconcentrado, possui em sua formulação a vitamina C, que promove o melhor aproveitamento do colágeno. Essa é a cápsula da beleza sua pele.

Mesmo sendo fácil de consumi-lo, para alcançar os resultados, é importante tomar diariamente seguindo a quantidade indicada.

COLÁGENO EM PÓ:

O colágeno em pó, por sua vez, deve ser diluído na água, no suco, ou até mesmo na comida. Ele pode ser encontrado com ou sem sabor.

Uma dica, nesse caso, é prepará-lo com suco rico em vitamina C, como por exemplo, laranja ou limão, para potencializar sua absorção.

O QUE TOMAR JUNTO:

O suplemento de colágeno hidrolisado é melhor aproveitado pelo organismo quando consumido junto com uma fonte de vitamina C. Essa vitamina, em conjunto com o suplemento de colágeno, tanto aumenta a produção de colágeno pelo organismo, quanto diminui sua lise, ou seja, a quebra do colágeno.

Por isso, prefira suplementos de colágeno hidrolisado que contenham vitamina C, ou procure sempre consumir o suplemento com uma fonte dessa vitamina.

MITOS E VERDADES:


Colágeno engorda?

Mito, tem algumas calorias,mas não engorda.

Comer gelatina aumenta a produção de colágeno?São a mesma coisa?

Mito, comer a sobremesa não ajuda o organismo sintetizar o colágeno.

Silício e colágeno são a mesma coisa?

Mito, possuem ações complementares, o silício (Exynutriment, Siliciumax, Nutricolin, Biosul, Ortosil) estimula o nosso organismo a produzir mais colágeno.

Retarda o aparecimento de estrias?

Verdade, porque melhora a elasticidade da pele.

Cabelos e unhas crescem mais fortes?

Verdade, o colágeno faz parte da estrutura da pele, unhas e cabelos. Ingerindo a proteína eles ficarão com melhor aparência e mais fortes.

Diminui flacidez?

Verdade,a proteína ajuda a prevenir o aparecimento da flacidez em regiões como pescoço, rosto e colo;

Colágeno hidrolisado é melhor?

Verdade, possui partículas menores; é melhor absorvido pelo organismo.

A ingestão de anti-oxidantes (vitamina C e selênio) melhora a absorção?

Verdade, o combate aos radicais livres melhora a síntese do colágeno.

PERGUNTAS FREQUENTES:

Quantas cápsulas de colágeno devo tomar por dia?

A dose diária indicada pela maioria dos estudos, é de 10 gramas por dia.

O que é colageno hidrolisado Verisol?

Colágeno Verisol é composto de Peptídeos Bioativos de Colágeno que retarda os sinais de envelhecimento da pele. Colágeno Verisol também reduz a celulite e muito mais.

Colágeno faz mal?

Até o momento não se sabe se o consumo de suplemento de colágeno faz mal. Entretanto, ele pode causar efeitos colaterais, como sensações de peso, azia e reações alérgicas.

Como saber se o colágeno é hidrolisado?

É possível verificar essa informação no rótulo do produto através da descrição da composição de acordo com a lista dos ingredientes. Lá deve conter "colágeno hidrolisado" ou "peptídeos de colágeno hidrolisado" ou "peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado" e não apenas "colágeno".

A vitamina C auxilia na absorção do colágeno?

A vitamina C está diretamente ligada na síntese de colágeno, fundamental para manter o tônus e a firmeza da pele.

Qual o melhor colágeno para flacidez?

Para se beneficiar desses efeitos, o melhor colágeno para flacidez é o colágeno hidrolisado. A suplementação com colágeno hidrolisado auxilia na reestruturação da pele, ajudando a melhorar seu fortalecimento e elasticidade e consequente melhora da aparência da pele.

Qual o melhor colageno para flacidez e celulite?

O colágeno hidrolisado costuma ser indicado para fins estéticos, já que melhora a elasticidade da pele, reduz a flacidez e auxilia na diminuição de rugas e celulites, além de fortificar as unhas e o cabelo.

Quanto tempo o colágeno demora para fazer efeito?

Para se obter os efeitos benéficos do colágeno, como melhora da elasticidade e firmeza da pele e preservação da saúde das articulações e ossos, é necessário o consumo diário e contínuo de colágeno hidrolisado nas quantidades recomendadas.

A maioria dos estudos demonstram que os efeitos começam a aparecer em um período de 3 meses de uma ingestão diária de 2 a 5 g de colágeno.

Qual o melhor colágeno em pó?

A quantidade recomendada de ingestão de colágeno é de 8 a 10 g por dia, que pode ser consumida juntamente com uma refeição, em qualquer horário do dia. O melhor tipo de colágeno é o hidrolisado pois ele é melhor absorvido no intestino.

Gelatina tem colágeno?

A gelatina é uma fonte pobre de colágeno e além disso, a forma industrializada contém alta quantidade de açúcar, adoçantes artificiais, flavorizantes, corantes e estabilizantes, por isso, devem ser consumidos com cautela.

Colágeno é indicado no tratamento de estrias?

É importante lembrar que as estrias são resultado de uma lesão subcutânea onde houve substituição por tecido cicatricial. Essas lesões podem acontecer por diversos motivos, entre eles, a falta de elasticidade da pele. Por essa razão, o colágeno pode ser utilizado como método preventivo ou no controle do aparecimento de estrias, porém não é indicado no tratamento das estrias que já apareceram.