Assinar Feed RSS

Vitaminas

Itens 1 para 15 de 143 total

por página
Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5

Tabela  Lista 

Direção Descendente

Itens 1 para 15 de 143 total

por página
Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5

Tabela  Lista 

Direção Descendente

O QUE SÃO VITAMINAS:

As vitaminas são compostos ou substâncias orgânicas e nutrientes simplesmente essenciais para a manutenção e funcionamento do organismo.

Cientificamente, uma vitamina é todo o composto químico orgânico que o organismo humano não consegue sintetizar em quantidades suficientes. E que por consequência precisam ser consumidos e assimilados pelo organismo por meio da dieta, ou seja, da alimentação.

As vitaminas estão presentes em diversos tipos de alimentos. Elas são mais ricamente encontradas em legumes, frutas e verduras. No entanto, também podem ser encontradas nas carnes, leite, cereais e nos ovos.

As vitaminas devem ser ingeridas pelo organismo em quantidades certas e equilibradas. Dessa forma, é possível garantir um bom funcionamento fisiológico do organismo.

A dosagem certa das vitaminas é um ponto fundamental, pois tanto o consumo excessivo (hipervitaminose) quanto a ingestão insuficiente (hipovitaminose) da maioria das vitaminas pode causar problemas de saúde.

Além dos alimentos, as vitaminas também podem ser ingeridas através de suplementos vitamínicos. No mercado, existem tanto suplementos que possuem apenas uma ou duas vitaminas concentradas, quanto suplementos que englobam praticamente todas as vitaminas (Polivitamínicos).

CONCEITO DE VITAMINAS:

Para entender o conceito das vitaminas é preciso primeiro compreender o nome dado a essa classe de nutrientes.

Vitamina é um termo composto formado pela vocábulo latino Vita e pelo conceito químico Amina. A denominação ou criação do termo foi feita pelo bioquímico polonês Casimir Funk no ano de 1912.

Existem, categorizadas, treze vitaminas para humanos. Elas são organizadas em dois grupos principais, as vitaminas hidrossolúveis e lipossolúveis.

Essas duas classificações, também conhecidas como tipos de vitaminas, são igualmente essenciais. É preciso ingerir adequadamente doses das vitaminas pertencentes aos dois tipos para preservar o bom funcionamento do organismo.

E mais, sua ingestão é importante para melhorar o funcionamento do corpo e melhorar a saúde.

IMPORTÂNCIA:

As vitaminas são essenciais para garantir o funcionamento adequado do nosso organismo. Elas atuam, principalmente, como catalisadores de reação dentro dele. Vale lembrar que os catalisadores nada mais são que substâncias que garantem que uma reação química aconteça de forma mais rápida e utilizando menos energia.

As vitaminas são importantes na transformação de energia, algumas são antioxidantes e são essenciais para o funcionamento dos vários sistemas do corpo, inclusive o nosso sistema imunológico.

A falta de vitaminas no organismo é chamada de avitaminose ou hipovitaminose e pode causar problemas graves de saúde.

CLASSIFICAÇÃO:

As vitaminas são tradicionalmente classificadas em dois grandes grupos: o das vitaminas hidrossolúveis e o das vitaminas lipossolúveis. Essa classificação leva em consideração a sua solubilidade, não estando relacionada, por exemplo, com a função que elas desempenham no nosso organismo.

VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS:

As Vitaminas Hidrossolúveis são o conjunto de vitaminas que são dissolvidas em água. Em geral, essas vitaminas são dissolvidas tanto em contato com líquidos externos ao organismo, quanto os líquidos existentes no corpo.

As vitaminas desse tipo são absorvidas pelo intestino e transportadas através do sistema circulatório até os tecidos onde são utilizadas. O corpo então usa apenas a quantidade necessária das vitaminas, e elimina o excesso delas.

Sendo assim, essas vitaminas não são acumuladas no corpo, nem ficam presente nele por muito tempo. Após o uso do necessário as quantidades excedentes são expelidas pela urina.

Verduras e legumes são muito ricos nessas vitaminas, no entanto é preciso cozinhá-los por pouco tempo ou evitar o cozimento. A razão disso é que as vitaminas hidrossolúveis são muito sensíveis ao cozimento.

Por isso, é preferível consumir legumes e verduras in natura, ou com cozimento rápido e brando.

As vitaminas hidrossolúveis são:

  • Complexo B (Vitamina B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9 e B12)
  • Vitamina C (ácido ascórbico)

VITAMINAS LIPOSSOLÚVEIS:

As Vitaminas Lipossolúveis são aquelas solúveis em lipídios ou outros solventes orgânicos, mas que não são solúveis em água. Elas só podem ser absorvidas pelo organismo através da presença lipídios, bile e suco pancreático.

Essa absorção ocorre no intestino do organismo, e então essas vitaminas são transportadas pelo sistema linfático. Essas vitaminas são armazenadas no fígado ou nos tecidos do corpo. As vitaminas lipossolúveis são eliminadas de forma mais difíceis pelo organismo.

As vitaminas lipossolúveis são:

  • Vitamina A
  • Vitamina D
  • Vitamina E
  • Vitamina K

FUNÇÃO DAS VITAMINAS:

As vitaminas, de forma geral, possuem funções relacionadas a praticamente todas as reações e funcionamento do organismo. Ou seja, elas estão envolvidas em praticamente todo o bom funcionamento, manutenção e melhora da saúde do corpo.

As vitaminas são essenciais, por exemplo, para o crescimento e reparação de tecidos do corpo. Também possuem funções que fazem da sua presença em quantidades adequadas algo vital para o bom funcionamento dos órgãos do organismo.

Auxiliar na produção de reações metabólicas específicas no meio celular também é uma das funções da células.

As vitaminas ainda desempenham funções como:

  • Melhora do sistema circulatório;
  • Auxílio na coagulação adequada do sangue ;
  • Formação de colágeno e melhora da pele ;
  • Controle e regulação de triglicérides e colesterol ;
  • Regulação dos níveis de açúcar no sangue;
  • Fortalecimento e manutenção da saúde dos ossos;
  • Melhora do sistema imunológico;
  • Promover ação antioxidante no organismo ;
  • Auxílio no metabolismo e crescimento celular;
  • Funcionamento do sistema nervoso central;
  • Equilíbrio hormonal do organismo.

As funções das vitaminas não são iguais entre todas elas, cada vitamina possui suas próprias funções no organismo.

Por isso é tão importante ingerir a quantidade diária certa de cada vitamina, para assim garantir uma nutrição correta para o organismo.

TIPOS DE VITAMINAS:

Vitamina A:  Presente principalmente no fígado, no leite e na gema do ovo, ela é essencial para o funcionamento do organismo. A vitamina A é, por exemplo, fundamental para a criação de células sanguíneas, especialmente os linfócitos (que fazem parte do nosso sistema de defesa). A ingestão deficiente dessa vitamina, portanto, pode influenciar na resposta imunológica do organismo.

Além disso, a sua carência compromete a integridade do revestimento do trato pulmonar, gastrointestinal e urinário, facilitando a ocorrência de infecções graves.

Vitamina D: Considerada um hormônio, seu fator precursor está presente no óleo de peixe e de fígado de bacalhau e na gema de ovo. Ele é convertido na forma ativa da vitamina D por meio da exposição à luz solar.

Pessoas com deficiência de vitamina D sofrem maior ocorrência de infecções respiratórias. Perceba que essas doenças surgem com maior frequência no inverno quando estamos menos expostos à radiação solar.

Além disso, a vitamina D tem um papel importante na regulação do sistema imunológico.

Vitamina E: Presente em vários alimentos de origem vegetal, como nos óleos de soja e de milho, tomate e vegetais verde-escuros, esse nutriente tem importante papel antioxidante. A falta dele pode acarretar disfunções no sistema imunológico, além de doenças neuromusculares e retinopatia, um problema que compromete a visão.

Vitamina K: A vitamina K participa da regulação dos processos de coagulação sanguínea, ajudando a controlar sangramentos. Encontrada nas hortaliças verdes, também pode ser sintetizada pelo organismo.

Vitamina B1 (tiamina): Também conhecida como tiamina, ela tem entre suas funções o metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas. Mais do que isso, sua presença é fundamental para o sistema nervoso.

A vitamina B1: é encontrada em diversos alimentos de origem animal e vegetal. Carnes, vísceras (especialmente fígado e coração), gema de ovo e grãos integrais são algumas de suas principais fontes.

A deficiência dessa substância no organismo pode levar a uma doença chamada beribéri, que afeta os sistemas nervoso e cardiovascular.

Vitamina B2 (riboflavina): Atua na formação das células vermelhas do sangue. Ela é especialmente importante durante a gravidez, a fase de lactação e nos anos de crescimento da criança.

A vitamina B2 pode ser encontrada em produtos derivados do leite, folhas verdes e vísceras.

Vitamina B3 (niacina): Está aí uma vitamina que auxilia no aproveitamento adequado de carboidratos e proteínas, além de participar da síntese de gordura e do processo de respiração.

Sua deficiência pode acarretar anormalidades digestivas que levam à irritação e inflamação das mucosas da boca e do trato gastrointestinal. Como consequência, episódios de diarreia se tornam constantes.

A niacina está presente principalmente em carnes magras, aves, peixes, amendoins e leguminosas.

Vitamina B5 (ácido pantotênico): Ela está relacionada com a síntese de colesterol, hormônios esteroides,neurotransmissores. Na indústria, é utilizada para a produção de dermocosméticos por sua capacidade de hidratar e reparar danos celulares.

Como é encontrada em diferentes tipos de alimentos (gema de ovo, leite, cereais, fígado de animais), são raros os casos de deficiência.

Em geral, o déficit de vitamina B5 ocorre em pessoas com problemas de absorção de nutrientes, em portadores de insuficiência renal que realizam diálise e em consumidores de grandes quantidades de bebida alcoólica.

Vitamina B6 (piridoxina): Assim como a B2, ajuda a metabolizar proteínas, carboidratos e gorduras, ao mesmo tempo que faz o sistema nervoso central trabalhar direitinho. A vitamina B6 está presente em muitos alimentos, sendo suas principais fontes: aves, peixes, fígado, cereais e leguminosas.

Vitamina B7 (biotina): Também chamada de vitamina H ou biotina, ela regula a expressão dos nossos genes. Ainda está envolvida em processos como manutenção dos níveis de glicose no sangue e na composição de cabelos e unhas.

Essa vitamina, assim como a maioria das que integram o complexo B, é amplamente distribuída nos alimentos, sendo fontes importantes o fígado, os cereais, os grãos e os vegetais.

A carência da vitamina B7 provoca principalmente queda de cabelo, conjuntivite, perda do controle muscular e dermatite esfoliativa na região dos olhos, nariz e boca. Além disso, abre as portas para problemas neurológicos e gastrointestinais.

Vitamina B9 (ácido fólico): O ácido fólico é, na verdade, a forma sintética da vitamina, que se encontra em vísceras, feijões e vegetais de folhas escuras, bem como em diversos alimentos fortificados.

O principal papel do ácido fólico está no metabolismo de aminoácidos e na síntese de DNA, que é fundamental para o desenvolvimento embrionário. Estudos mostram que a suplementação com ácido fólico na gestação previne defeitos do feto.

Vitamina B12 (cobalamina): A vitamina B12, ou cobalamina, é encontrada em alimentos de origem animal, como produtos lácteos, carnes, frutos do mar, peixes e ovos. É responsável por importantes funções no organismo, garantindo o metabolismo das células, especialmente as do trato gastrointestinal, da medula óssea e do tecido nervoso.

Baixos níveis da substância não raro acarretam manifestações graves, como a anemia megaloblástica e anemia perniciosa. Grupos específicos, a exemplo de vegetarianos e veganos e pessoas com mais de 50 anos, são os mais vulneráveis à deficiência de vitamina B12. A suplementação, sempre com recomendação do especialista, pode ser uma boa estratégia para esses casos.

Vitamina C (ácido ascórbico): Essa é das mais conhecidas. E não à toa: a vitamina C desempenha funções antioxidantes, atua na manutenção das paredes dos vasos sanguíneos, na reparação dos tecidos e na absorção do ferro, além de fortalecer o sistema de defesa contra infecções.

Ela não é produzida pelo organismo, portanto deve ser ingerida diariamente na alimentação. Presente na maioria dos alimentos de origem vegetal, especialmente nas frutas cítricas, é bastante sensível às variações de luz e temperatura. Isso significa que processos como o cozimento ou um longo tempo de espera entre o preparo e o consumo das preparações reduzem sua disponibilidade.

O QUE TODOS OS VEGANOS DEVEM SABER SOBRE A VITAMINA B12:

Uma ingestão muito baixa de vitamina B12 pode provocar anemia e danos no sistema nervoso.

As únicas fontes veganas fidedignas de vitamina B12 são os alimentos enriquecidos (incluindo alguns leites vegetais, alguns produtos de soja e alguns cereais de pequeno-almoço) e os suplementos de B12. A vitamina B12 (incluindo a B12 em alimentos enriquecidos, em suplementos e em alimentos de origem animal) tem origem em microorganismos.

A maioria dos veganos ingere uma quantidade de vitamina B12 suficiente para evitar anemia e danos no sistema nervoso, mas muitos não ingerem a quantidade suficiente para minimizar potenciais riscos de doenças cardiovasculares ou complicações durante a gravidez.

Recomendações:

Para tirar o máximo proveito de uma dieta vegana, os veganos deverão seguir uma das seguintes recomendações:

  • Ingerir alimentos enriquecidos 2 ou 3 vezes por dia para obter pelo menos 3 μg de B12 por dia;
  • Tomar um suplemento de B12 diariamente que forneça pelo menos 10 μg de B12;
  • Tomar um suplemento semanal de B12 que forneça pelo menos 2000 μg.

Se depender de alimentos enriquecidos, verifique cuidadosamente as etiquetas para se certificar de que obtém suficiente B12. Por exemplo, se uma dose de leite vegetal enriquecido com vitamina B12 contiver 1 μg de B12, consumir 3 doses por dia fornece a B12 suficiente. Algumas pessoas poderão considerar a utilização de suplementos de B12 mais conveniente e económica.

Quanto menor for a frequência com que se ingere B12 tanto maior deverá ser a quantidade ingerida, pois a B12 é melhor absorvida em pequenas quantidades. As recomendações acima têm esse facto em consideração. Não há nenhum problema em exceder as quantidades recomendadas nem em combinar mais do que uma opção para ingestão de B12.

O QUE É A FALTA DE VITAMINAS?

A falta de vitaminas é chamada de avitaminose e acontece quando não atingimos a necessidade diária de nutrientes que o corpo necessita para funcionar corretamente.

Isso pode ocorrer devido a uma má absorção do organismo ou pela falta de ingestão correta através de suplementos e alimentos.

Assim, quando isso acontece, nos sentimos mal e nos tornamos mais suscetíveis a doenças.

O QUE A FALTA DE VITAMINAS PODE CAUSAR?

A avitaminose, quando não tratada, pode causar doenças e problemas de saúde, como:

  • Raquitismo.
  • Distúrbios metabólicos.
  • Anemia.
  • Cegueira noturna.
  • Pelagra.

Para evitar tais doenças, é necessário manter uma alimentação equilibrada, fazer exames anualmente e quando orientado pelo médico, repor as vitaminas necessárias através de suplementos alimentares.

Contudo, os sintomas variam de acordo com a vitamina que está faltando. Confira os sintomas da falta de algumas delas abaixo:

Confira sintomas da falta de cada vitamina e onde encontrar:

Falta de vitamina A:

Pode causar ulcerações nas córneas ou ceratoconjuntivite, podendo evoluir para necroses.

Presentes em alimentos como beterraba, cenoura, batata-doce e couve, a falta desta vitamina também pode contribuir para a queda de cabelo, unhas quebradiças, pele seca e cegueira noturna.

Falta de vitaminas do complexo B:

Falta de Vitamina B1 (Tiamina):

A falta da vitamina B1 causa perda de apetite, cansaço, inapetência, perda de sono, irritabilidade, insônia, formigamento, inchaço, prisão de ventre, confusão mental, bem como fraqueza muscular.

Além disso, em casos mais graves, é possível haver lesão cerebral, comprometimento do coração, entre outras doenças.

A vitamina B1 pode ser reposta através de suplementos alimentares e está presente em alimentos como feijão, berinjela, cogumelo, atum e grãos de cereais integrais, como aveia e linhaça.

Falta de Vitamina B2 (Riboflavina):

Inflamações na boca, falta de energia, anemia, sensibilidade visual, descamação e coceira da pele são alguns acontecimentos que a falta dessa vitamina pode trazer.

Ela está presente em alimentos como brócolis, ervilha, soja, espinafre e couve; e pode ser reposta com suplementos alimentares.

Falta de Vitamina B3 (Nicotinamida):

Falta de apetite, emagrecimento, fadiga, insônia, diarréia, irritabilidade, dermatites e depressão são alguns sintomas da falta dessa vitamina.

A vitamina B3 está presente em cogumelos, cereais integrais, brócolis, aspargo, batata-doce e outros alimentos.

Falta de Vitamina B5 (Ácido Pantotênico):

Insônia, sensação de ardência nos pés, doenças neurológicas, câimbras nas pernas, fadiga e baixa produção de anticorpos podem ser causados pela avitaminose desse nutriente.

Ele está presente em suplementos alimentares e em alimentos como salmão, lentilha, abacate, batata-doce e grãos integrais.

Falta de Vitamina B6 (Piridoxina):

Distúrbios nervosos, dermatites, adormecimento e formigamento das mãos e dos pés, anemia, fissuras nos lábios, confusão mental e convulsões em crianças.

A vitamina B6 está presente em suplementos alimentares e em alimentos como soja, feijão, banana, tomate, abacate, espinafre, entre outros.

Falta de Vitamina B7/B8 (Biotina):

Furúnculos, calvície, unhas quebradiças, conjuntivite, dermatites, perda de apetite, inflamações, dores musculares, fraqueza, enjoos, fadiga, anemia, altos níveis de colesterol e alucinações são alguns sintomas causados pela falta dessas vitaminas.

Presente em cogumelo, espinafre, couve-flor, leite, laranja, melão e em outros alimentos.

Falta de Vitamina B9 (Ácido Fólico):

Cefaleia, cansaço, distúrbios digestivos, insônia, anorexia, anemia, dificuldade de memorização, apatia, falta de ar, fraqueza e problemas de crescimento são alguns dos sintomas causados pela falta da vitamina B9, também conhecida como ácido fólico.

Ela está presente em vegetais de folhas verdes, cereais integrais, couves-flor, carnes, leguminosas e em outros alimentos.

Falta de Vitamina B11 (Carnitina):

Cansaço, confusão mental, fraqueza muscular, insuficiência renal e manifestações cardíacas são alguns problemas que a falta dessa vitamina pode causar.

Ela está presente em alimentos como laticínios, peixes e carnes.

Falta de Vitamina B12 (Cobalamina):

Sua falta pode causar alteração neurológica, fadiga, fraqueza, aftas, anemias, perda de apetite, perda de peso, dificuldade de concentração, falha de memória, constipação, queimação na sola dos pés, icterícia (pele amarela), entre outros problemas de saúde.

A vitamina B12 está presente em ovos, leites, queijos, peixes de água fria como salmão e atum, entre outros alimentos.

Falta de vitamina C:

A falta dessa vitamina pode causar escorbuto, que é caracterizado pelo sangramento das membranas gengivais e da mucosa, mau hálito e hemorragia. Além disso, pode causar feridas na pele e maior predisposição à gripe, bronquite e pneumonia;

Presente em frutas cítricas como laranja, limão, abacaxi e maracujá, a vitamina C, assim como todas as outras vitaminas e minerais, pode ser reposta com suplementação.

Falta de vitamina D:

A falta de vitamina D também pode causar prejuízos a saúde, como maior risco de ter câncer, osteoporose, problemas cardíacos, esclerose múltipla, doenças autoimunes e gripes. “A vitamina D está relacionada a resposta a infecções, formação do tecido ósseo e da resposta ao nível elevado de colesterol”.

Ela está presente em alimentos como atum, carne bovina, gema de ovo e manteiga.

Falta de vitamina E:

A falta dessa vitamina pode causar a diminuição dos reflexos, dificuldades visuais, doenças cardíacas, catarata, câncer, mal de Alzheimer e mal de Parkinson.

A vitamina está presente em verduras, óleos vegetais, oleaginosas, soja, banana e outros alimentos.

Falta de vitamina K:

Sua falta pode causar alterações na coagulação sanguínea. Assim, podendo dificultar o estancamento de um sangramento, interno ou externo, levando a uma hemorragia.

Alguns alimentos como espinafre, couve-flor, alface, cenoura, soja e brócolis são ricos em vitamina K.

FALTA DE VITAMINAS EM GESTANTES:

A falta dos nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo é perigoso em qualquer momento de vida.

Contudo, durante a gravidez a falta de determinadas vitaminas pode causar sérios problemas à saúde da gestante e do bebê. São elas:

  • Risco de aborto.
  • Favorece a pré-eclâmpsia.
  • Anemia.
  • Asma.
  • Mau desenvolvimento do sistema cognitivo do bebê.
  • Comprometimento da capacidade mental do bebê.
  • Diabetes gestacional.

QUAIS OS POSSÍVEIS SINTOMAS DA FALTA DE VITAMINA?

Os sintomas da avitaminose variam de acordo com a vitamina que está faltando no organismo.

“As vitaminas participam de todos os processos metabólicos. Assim, sua deficiência no organismo pode levar a doenças e necessidades metabólicas, às vezes sérias, comprometendo o bom funcionamento dos sistemas. As deficiências podem ser gradativas, decorrentes da má alimentação ou do grande consumo de vitaminas em situações especiais: idosos, praticantes de atividades físicas intensas, gravidez, convalescença de doenças, crescimento”,.

Os sintomas mais comuns são:

  • Cansaço (fadiga).
  • Sono diurno.
  • Falta de atenção.
  • Pele áspera e seca.
  • Cabelos e unhas quebradiças.
  • Atraso no crescimento e problemas cognitivos e motores em crianças.

Para diagnosticar a falta de vitaminas, deve-se ter atenção a esses sintomas, bem como realizar exames anualmente.

O QUE LEVA Á FALTA DE VITAMINAS?

A avitaminose pode ser causada por uma ingestão pouco variada de alimentos, por exemplo, com poucas frutas e verduras, ou por uma deficiência do corpo na absorção.

Para saber corretamente é necessário consultar um médico e realizar exames.

Desse modo, ele poderá informar corretamente quais vitaminas estão faltando, o motivo dessa falta e como repô-las corretamente.

EXAMES PARA DETECTAR A FALTA DE VITAMINAS NO ORGANISMO:

Para diagnosticar a falta de vitaminas e minerais no organismo, além dos sistemas e do histórico do paciente, existem exames, como o de sangue, que determinam exatamente qual vitamina está faltando.

Consulte o seu médico para saber a lista completa de exames e a melhor orientação sobre como repor as vitaminas e os minerais que estão em falta no seu corpo.

QUAL A VITAMINA PARA FRAQUEZA?

As vitaminas do complexo B, como as citadas aqui, são essenciais para a produção de energia. Além disso, o ferro também é essencial para nos sentirmos bem, pois uma de suas atuações é no transporte de oxigênio.

Quando não os ingerimos em quantidades suficientes, ficamos sem energia, muito cansados, apáticos e com quedas acentuadas de cabelo.

QUAL A MELHOR FORMA DE CONSUMIR VITAMINAS?

A melhor forma de consumir vitaminas é seguindo a orientação do seu médico ou nutricionista.

Contudo, é indicado que o consumo seja feito durante as refeições para facilitar a absorção dos nutrientes.

As opções em gomas são saborosas, pois tornam a ingestão da vitamina um momento prazeroso. Elas possuem sabor de frutas e podem ser mastigadas, sendo fáceis de engolir.

COMO COMPLEMENTAR AS VITAMINAS?

Para complementar as vitaminas corretamente é necessário realizar exames e ter a orientação de um médico ou nutricionista.

Afinal, existem diversas opções de vitaminas no mercado – em gomas, injetáveis, em comprimidos ou em cápsulas – e em variadas dosagens. Apenas um médico ou nutricionista poderá indicar qual a mais adequada para cada necessidade e à rotina do paciente. Isso sem falar nos ajustes na alimentação, que podem ser realizados sob orientação desses profissionais.

Em todo caso, quando se faz necessária a suplementação das vitaminas, o paciente encontra diversas opções e pode escolher a que melhor se encaixe na rotina. Por exemplo, as vitaminas em gomas deixam o momento mais prazeroso, pois pode ser mastigada, não apresentando dificuldade ao engolir e tem sabor de frutas.

SUPLEMENTOS VITAMINICOS:

O uso de suplementos vitamínicos é importante para pessoas que apresentam deficiência de certas vitaminas no corpo.

Esse é o caso, por exemplo, de pessoas que não fazem consumo de alimentos ricos em vitamina B12 (carnes, ovos e leite), como os veganos, sendo necessária complementação para evitar complicações. Esse é o caso também de pessoas que apresentam problemas de absorção de vitaminas. Além disso, a suplementação é recomendada para mulheres que pretendem engravidar, sendo, nesse caso, recomendado o uso de ácido fólico.

Apesar da complementação ser necessária em alguns casos, o uso das vitaminas merece atenção e só deve ser feito com recomendação. Em excesso, algumas vitaminas podem causar danos à saúde, sendo esse o caso de vitaminas lipossolúveis, capazes de depositarem-se na gordura de nosso corpo. Desse modo, o ideal é que pessoas que não apresentam problemas na absorção ou dieta deficitária de alguma vitamina, procurem esses importantes nutrientes em alimentos saudáveis.

COMO TOMAR VITAMINAS:

As vitaminas podem ser tomadas, ou ingeridas, de duas formas principais.

A primeira e mais comum delas é por meio da alimentação, da dieta da pessoa.

As vitaminas estão presentes em diversos tipos de alimentos, sendo mais ricamente encontrada nas frutas, legumes e verduras. As vitaminas também podem ser encontradas, algumas delas, em carnes, ovos, peixes e cereais por exemplo.

A outra forma de fazer a ingestão de vitaminas além dos alimentos é por meio dos suplementos vitamínicos.

Os suplementos são compostos, geralmente em cápsulas, que possuem uma ou mais vitaminas. Essas vitaminas estão presentes de forma controlada, com a quantidade necessária de vitaminas para nutrir o corpo diariamente.

Por isso que frequentemente os suplementos vendidos no mercado indicam apenas uma cápsula ao dia. Existem suplementos que concentram apenas uma vitamina em sua composição. Mas também existem suplementos que apresentam uma grande variedade de vitaminas todas juntas.

Esses são os suplementos polivitamínicos, os populares suplementos de A a Z.

Geralmente, não é preciso de algo como receita ou indicação médica para tomar suplementos vitamínicos. Afinal, eles apenas visam complementar a dosagem diária das vitaminas necessárias ao corpo.

PERGUNTAS FREQUENTES:

Qual a melhor vitamina para a pele do rosto?
Para a pele do rosto é indicado a vitamina A, que é fundamental para que o tecido se mantenha íntegro; vitamina C, para a combater a oxidação, na biossíntese do colágeno, bem como para reduzir os radicais livres; vitamina D, para acelerar a renovação da pele e do colágeno; e vitamina E, para auxiliar na hidratação natural.


Qual a melhor vitamina para ansiedade?
Para ansiedade, distúrbios de sono, irritabilidade, depressão e alterações do humor são necessárias algumas vitaminas, como: serotonina, magnésio, melatonina, ômega 3, vitaminas do complexo B – vitamina B1, ácido fólico, B6 e B12 – vitamina D, cálcio, zinco, o aminoácido Gaba e o mineral selênio.

Qual a vitamina para fraqueza?
As vitaminas do complexo B, como as citadas aqui, são essenciais para a produção de energia. Além disso, o ferro também é essencial para nos sentirmos bem, pois uma de suas atuações é no transporte de oxigênio.

Quando não os ingerimos em quantidades suficientes, ficamos sem energia, muito cansados, apáticos e com quedas acentuadas de cabelo.

Qual vitamina para dar energia?
Para manter a energia em alta, vitaminas como o ativo B12 e ácido fólico são essenciais.


Qual a melhor vitamina para fortalecer o corpo?
Para fortalecer a imunidade e o corpo a vitamina E, vitamina C, B6, A, complexo B, A, E, K.

Qual a melhor vitamina para o cabelo?
Algumas vitaminas melhoram a aparência e a força do cabelo. São elas: Biotina, vitamina D, vitamina E
Elas dão brilho e auxiliam no crescimento dos fios.

Qual a melhor vitamina para engordar?
Para engordar de maneira saudável algumas vitaminas são necessárias, como a vitamina B6 e B12 para auxiliar o aumento da massa muscular; e vitamina C e E, para facilitar o ganho de peso. Além disso, o hormônio insulina e a creatina beneficiam o aumento de massa muscular.

Qual a melhor vitamina para crianças?
É indicado que as crianças recebam quantidades diárias de vitamina D e de vitamina C, aliados a uma boa alimentação.
Para essa faixa etária existem vitaminas em gomas feitas especialmente para crianças, que facilitam na hora de engolir e possuem a quantidade exata de nutrientes necessários.
Consulte o pediatra para saber mais sobre como colocar vitaminas na alimentação das crianças.

Qual a melhor vitamina para idosos?
Após os 50 anos é indicado consultar um médico sobre a necessidade de consumir vitaminas específicas. Após esta faixa etária, costuma ser necessário ingerir vitamina B12, porque o corpo pode ter dificuldades para absorvê-la. Vitamina D e cálcio também pode ser necessário.

Qual é a principal função da vitamina?
As vitaminas são compostos orgânicos presentes nos alimentos e indispensáveis para o funcionamento normal do nosso organismo. São essenciais para o crescimento e a reparação dos tecidos, vitais para o funcionamento dos órgãos e a produção das reações metabólicas específicas no meio celular.


Quais as vitaminas que necessitam de ingestão diária?
As vitaminas chamadas de hidrossolúveis (vitamina C e as do complexo B) necessitam de ingestão diária, pois são armazenadas em quantidades muito pequenas. As lipossolúveis, por sua vez, não precisam ser ingeridas todos os dias.

Quais as doses diárias de vitaminas que o corpo precisa?
As doses diárias devem ser de 5 microgramas para adultos entre 19 e 50 anos. Dos 51 aos 70 anos, a ingestão dos alimentos fontes deve aumentar e representar 10 microgramas da vitamina. Para quem tem mais de 71 anos, a recomendação de consumo é de 15 microgramas por dia.


Qual a quantidade de vitamina C que devemos ingerir por dia?
Para que o corpo se beneficie das propriedades da vitamina C, a quantidade diária recomendada para adultos é de 90 miligramas, para os homens; e de 75 miligramas, para mulheres. Vale lembrar que o consumo não deve exceder o limite de 2.000 miligramas de vitamina C por dia.

O que acontece se tomar vitamina C em excesso?
Quando consumida em doses elevadas pode provocar diarreias, cólicas, dor abdominal e dor de cabeça. Estudos também têm demonstrado que a ingestão excessiva dessa vitamina pode causar cálculos renais, já que a vitamina C se liga ao cálcio e forma oxalato de cálcio, provocando o aparecimento de pedras nos rins.

Qual a quantidade de vitamina b12 precisamos diária?
A ingestão diária recomendada para a vitamina B12 é de 1 mcg para adultos. Porém, muitos especialistas recomendam a ingestão de 100 a 400 mcg.

Qual a melhor forma de tomar Multivitaminico?
É indicado que a ingestão do multivitamínico seja feita durante uma refeição, como o jantar ou o almoço. Isso porque alguns alimentos auxiliam o organismo a absorver as substâncias. Assim, tomar durante as refeições melhora o efeito do suplemento.

Quais são os sintomas da falta de vitamina A?
Cegueira noturna, sensibilidade à luz (fotofobia), redução do olfato e do paladar,ressecamento da esclera (parte branca dos olhos) e da córnea dos olhos, inflamação da pele (dermatite), estresse, endurecimento das membranas mucosas dos tratos respiratório, gastrointestinal e urinário;risco de infecções.


Quais são os sintomas do excesso de vitamina A?
O excesso de ingestão de vitamina A provoca dor de cabeça, ressecamento da pele com fissuras, náuseas, dores nos ossos e articulações, perda de cabelos, aumento do baço e fígado, irritabilidade, cansaço, falta de apetite e alterações nas enzimas hepáticas.

Para que serve a vitamina de AZ?
Serve para completar a alimentação com as vitaminas e minerais essenciais que a alimentação pode não conseguir suprir, seja pela correria no dia-a-dia, ou por uma dieta restritiva como num regime para perda de peso ou ainda após uma cirurgia de redução do estômago, por exemplo.

Para que serve um suplemento vitamínico?
O suplemento vitamínico serve para repor em seu organismo as vitaminas que você possivelmente não está ingerindo diariamente durante as refeições.


A falta da vitamina C pode causar o que?
A falta dessa vitamina pode causar escorbuto, que é caracterizado pelo sangramento das membranas gengivais e da mucosa, mau hálito e hemorragia. Além disso, pode causar feridas na pele e maior predisposição à gripe, bronquite e pneumonia;


A falta da vitamina K pode causar o que?
Sua falta pode causar alterações na coagulação sanguínea. Assim, podendo dificultar o estancamento de um sangramento, interno ou externo, levando a uma hemorragia.