Multivitamínico Homens

Itens 1 para 15 de 19 total

por página
Página:
  1. 1
  2. 2

Tabela  Lista 

Direção Descendente

Itens 1 para 15 de 19 total

por página
Página:
  1. 1
  2. 2

Tabela  Lista 

Direção Descendente

O QUE É MULTIVITAMÍNICO?

Multivitamínicos, também conhecidos como polivitamínicos, são complexos vitamínicos-minerais essenciais para a saúde de todos, pois possuem a capacidade de suprir às necessidades de micronutrientes quando a alimentação não consegue atingir suas necessidades nutricionais. Contudo, vale ressaltar que os alimentos possuem propriedades capazes de atender às necessidades nutricionais de cada indivíduo, mesmo os atletas.

As vitaminas e minerais são nutrientes “essenciais” para o organismo. Isso quer dizer que em casos de deficiência a complementação/suplementação pode ser interessante, já que muitos deles não são fabricados pelo organismo. Por isso, precisam ser obtidos por meio dos alimentos que comemos combinados com a suplementação. Esses nutrientes são vitais para a nossa saúde, pois servem de base para funções cerebrais, contração muscular, balanço de fluidos e produção de energia.

A deficiência de apenas um desses nutrientes vitais pode causar sintomas como: queda de cabelo, unhas fracas, dores de cabeça, dores musculares, letargia, fraqueza muscular, deterioração de tecidos de conectividade e supressão da função imunológica. Diversos estudos, como os do College of Sports Medicine e outras universidades, mostraram que devido ao fato de pessoas ativas, como esportistas e praticantes de atividade física, gastarem esses nutrientes mais rapidamente, é comum que eles precisem de mais vitaminas e minerais “multivitaminicos” do que pessoas menos ativas.

PARA O QUE SERVE UM MULTIVITAMÍCICO?

O corpo necessita de uma quantidade diária de vitaminas e nutrientes que muitas vezes não são supridas por completo com a alimentação.

Desse modo, os multivitamínicos auxiliam na suplementação, evitando problemas de saúde. Eles oferecem ao organismo as proporções adequadas às necessidades diárias, protegendo o corpo de carências nutricionais e melhorando a saúde e o bem-estar.

Isso porque a falta da quantidade necessária de tais substâncias pode gerar um quadro de carência nutricional. Assim, sendo refletido em sintomas como falta de energia, mau humor, desânimo, memória prejudicada, unhas quebradiças, anemia, irritabilidade, queda de cabelo, dores musculares, insônia e pele ressecada.

Entretanto, os multivitamínicos devem ser indicados por um médico e seu uso deve estar associado com uma alimentação equilibrada, exercícios e outros hábitos de vida saudáveis.

 

COMO TOMAR E QUAL O MELHOR HORÁRIO?

É indicado que a ingestão do multivitamínico seja feita durante uma refeição, como o jantar ou o almoço.

Isso porque alguns alimentos auxiliam o organismo a absorver as substâncias. Assim, tomar durante as refeições melhora o efeito do suplemento.

Uma nova opção no mercado são os multivitamínicos em gomas, que podem ser mastigados durante a refeição, sem a necessidade de água e sem dificuldades na hora de engolir.

QUANDO ACRESCENTAR MULTIVITAMÍNICO NA ROTINA E QUANDO TOMAR?

Para saber o melhor momento para acrescentar os suplementos multivitamínicos na rotina é necessário fazer exames e consultar um médico. Desse modo, será possível acrescentar as substâncias corretas, nas quantidades ideais.

Existem multivitamínicos no mercado para várias situações e necessidades específicas, como: unhas/pele e cabelos;crianças ;homens ou mulheres; estresse; energia, entre outros. 

O horário para tomar o suplemento dependerá da substância e da sua rotina. Por exemplo, não é recomendado o consumo de suplementos de ferro durante o café da manhã, se você toma leite e outros alimentos ou suplementos com cálcio neste horário. Isso porque um diminui a absorção do outro.

Como regra geral, é indicado que o multivitamínico seja consumido durante alguma refeição, como o almoço ou o jantar, para auxiliar na melhor absorção dos nutrientes.

QUAL A QUANTIDADE IDEAL DE MULTIVITAMINICOS?

É necessário ficar atento às quantidades e às orientações médicas para evitar exageros na suplementação. As embalagens costumam conter indicações sobre a quantidade ideal e o médico auxiliará na definição dessa quantidade, de acordo com as carências do organismo de cada pessoa.

DIFERENÇA ENTRE POLIVITAMINICO E MULTIVITAMINICO:

A diferença entre multivitamínico e polivitamínico está no nome. Ambos são suplementos para auxiliar o corpo a conseguir os nutrientes necessários, que não foram totalmente adquiridos através da alimentação. 

Desse modo, não existe diferença entre os dois. 

QUAL O MELHOR MULTIVITAMINICO?

O melhor multivitamínico é o que atende as necessidades do seu corpo em cada momento de vida, de acordo com a indicação médica.

Contudo, os formatos em goma, diferentes dos antigos formatos em comprimidos ou cápsulas, torna a ingestão do suplemento um momento saboroso.

Isso porque as gomas possuem sabor de frutas e são fáceis de mastigar e engolir.

MULTIVITAMICO ENGORDA?

Os suplementos sozinhos não provocam o aumento de peso, pois não possuem calorias significativas em sua composição. 

Contudo, o ideal é sempre alinhar o uso de multivitamínicos com hábitos de vida saudáveis, como a prática de exercícios físicos e uma alimentação equilibrada.

BENEFÍCIOS AO CONSUMIR MULTIVITAMINICOS:

Combate estresse diário: Multivitaminas podem combater o stress diário. Seu corpo lida com uma variedade de tensões todos os dias. Se ele está recebendo as vitaminas e minerais necessários que necessita, ele é capaz de combater esse estresse de forma mais eficaz, evitando doenças.

Fornece energia necessária: Nosso corpo precisa de uma grande quantidade de energia para realizar as tarefas diárias. Uma forma de garantir que temos esta energia necessária é tomar um multivitamínico, uma vez sendo tão difícil manter uma dieta completa e saudável devidos a correria do dia a dia.

Evita Deficiência de vitamina: Se são deficientes em uma ou mais, as condições de saúde podem baixar. Tomar um multivitamínico é uma maneira rápida de parar de uma deficiência de vitamina ocorra. Por exemplo, nosso corpo precisa de vitamina A para manter nosso sistema imunológico saudável.

Fornece clareza mental: Nossos corpos precisam de clareza mental, assim como precisa de energia para funcionar corretamente. Vitaminas e minerais ajudam nosso cérebro a funcionar melhor.

Previne doenças cardiovasculares e câncer: Provou-se que se você fornecer o seu corpo com os nutrientes essenciais de que precisa, você pode muito bem prevenir doenças cardiovasculares e até mesmo câncer.

O QUE PROCURAR AO COMPRAR UM MULTIVITAMINICO?

Nem todas as multivitaminas são criadas iguais. Você deve considerar os ingredientes vitamínicos. Leia o rótulo e veja se ele afirma que ele contém vitamina A, vitamina C, vitamina C, vitamina D, vitamina K e ácido fólico. Você também deve ver se ele contém a Dose Diária Recomendada (DDR) de cobre, zinco e ferro.

QUAIS MULTIVITAMÍNICOS DEVO TOMAR?

Dependendo de seu objetivo, você deve prestar ainda mais atenção em alguns micronutrientes encontrados no multivitamínicos ou polivitamínicos:

Crescimento muscular e recuperação: cálcio, cobre, magnésio, fósforo, potássio, tiamina, vitamina C, vitamina D,  zinco.

Energia e resistência:  ferro, magnésio, niacina, ácido pantotênico, fósforo, potássio, riboflavona, sódio, tiamina, vitamina B12.

Saúde e longevidade: cálcio, ácido fólico, riboflavona, vitamina A, vitamina B12, vitamina B6, vitamina C, vitamina D, Vitamina E e zinco.

Saúde da mente: ácido pantotênico, vitamina B6.

Vale ressaltar que você também pode aumentar o consumo de nutrientes por meio de outros suplementos e alimentos, como multivitamínicos e polivitamínicos. O principal propósito dos multivitamínicos convencionais é fornecer o mínimo para prevenir a deficiência de vitaminas e minerais. Contudo, você pode atingir benefícios para a saúde e performance com maior ingestão de alguns nutrientes específicos, vindos também da própria alimentação.

MULTIVITAMÍNICOS PARA ATLETAS:

O suplemento multivitamínico reúne as principais opções de vitaminas e minerais que qualquer atleta precisa em seu cotidiano. Ao realizar uma atividade física, nosso organismo pede ainda mais esses tipos de nutrientes para poder se recuperar de uma melhor maneira e também para poder melhorar o desenvolvimento muscular.

O multivitamínico é responsável por abastecer o nosso organismo com nutrientes indispensáveis e que contribuem com a realização de exercícios físicos. Quando se treina em alta intensidade, é preciso possuir uma boa recuperação dos músculos para garantir o resultado esperado. Com o consumo do multivitamínico, alcançar a hipertrofia se torna ainda mais fácil. Além disso, o consumo deste produto faz com que você se sinta melhor para enfrentar as batalhas diárias sem colocar em risco a sua disposição.

Embora muitos não saibam, o multivitamínico tem uma grande relação com a hipertrofia. Para melhorar os seus resultados nos treinos, é preciso contar com uma boa recuperação e um bom desenvolvimento dos músculos. É aí que este produto entra na conversa. Ele contribui de forma direta na regeneração do tecido muscular logo após os treinos, facilitando manter uma boa intensidade das atividades. A ingestão dos nutrientes oferecidos pelos multivitamínicos é exatamente o que nossos músculos estão pedindo no pós-treino.

Principais vitaminas e nutrientes para atletas ou pessoas que praticam atividades físicas regularmente:

Vitaminas do complexo B: O complexo B é um conjunto de vitaminas extremamente importantes para diversas funções metabólicas do nosso corpo. Elas podem ser encontradas em alguns alimentos, e também de maneira concentrada nos suplementos para suprir as quantidades que o corpo necessita no dia a dia. Fazem parte desse complexo as vitaminas B1 (Tiamina), B2 (Riboflavina), B3 (Niacina), B5 (Ácido Pantotênico), B6 (Piridoxina), B7 (Biotina), B9 (Ácido Fólico) e B12 (Cobalamina).

Vitamina C : A vitamina C participa de processos celulares de oxirredução, funcionando como um potente antioxidante natural. O efeito da suplementação nutricional de atletas com nutrientes antioxidantes, especialmente com a vitamina C, tem sido amplamente usado como forma de prevenir e/ou minimizar os danos causados pela formação de radicais livres em alto nível durante a atividade física.

Vitamina D: Em pesquisas com atletas e indivíduos normais, observou-se que baixos níveis de vitamina D estão associadas a maiores percentuais de gordura, e também a menor desempenho em força quando comparados a indivíduos com concentrações de vitamina D adequadas. Ou seja, uma quantidade menor de vitamina D no corpo significa menos força física e mais gordura. Por isso, é importante investir na quantidade adequada dessa substância para um melhor desempenho físico.

Vitamina E: A vitamina E é altamente importante aos atletas. A sua presença no organismo garante não só uma rotina saudável, mas auxilia também em casos de treino intenso. A vitamina E ganha destaque justamente por atuar como agente antioxidante no organismo. Esse fator se mostra importante especialmente para quem pratica musculação. A suplementação com essa vitamina garante a redução do desgaste produzido pela oxidação

VITAMINAS IDEAIS PARA CANSAÇO FISICO E MENTAL:

Vitamina B12:

Entre as vitaminas do complexo B, existe uma que ajuda bastante a melhorar os níveis de energia do corpo. É a vitamina B12, encontrada na carne bovina e nos laticínios, que atua no processo de transformar a comida em energia. Seu consumo adequado é muito importante, já que com a ingestão em baixas quantidades desse nutriente, o corpo pode sofrer com cansaço físico e mental e até apresentar problemas de imunidade. 

Vitamina C:

Diante de um quadro de gripe ou resfriado, não é incomum recorrermos aos suplementos de vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico. Por outro lado, esse nutriente também é importante para manter os níveis de energia do corpo regulados. A falta de vitamina C pode facilitar uma doença chamada de escorbuto, que provoca cansaço físico e mental, sangramentos na gengiva e irritações na pele.

Prevenir-se desse problema e da falta de energia não é muito difícil, já que o ácido ascórbico é encontrado em uma grande variedade de frutas. Frutas cítricas, como a laranja e o limão, morango, acerola, goiaba, além do pimentão verde, tomate e brócolis, fornecem boas quantidades do nutriente.

Vitamina D:

A vitamina D é frequentemente associada à saúde dos ossos e dos dentes, ajudando a prevenir, por exemplo, a osteoporose e fraturas ósseas. No entanto, alguns estudos de caso têm mostrado que a falta desse nutriente também pode estar por trás da fadiga crônica.

Um homem de 61 anos  e uma mulher de 28 anos de idade norte-americanos apresentavam falta de energia e seus exames indicaram baixos níveis de vitamina D. Eles, então, foram tratados com a suplementação desse nutriente. Após algumas semanas, os médicos notaram melhoras significativas no quadro de fadiga.

Ferro:

Além das vitaminas B12, C e D, outro nutriente que ajuda a regular os níveis de energia do organismo é o ferro. Ele atua na síntese da hemoglobina, proteína responsável pelo transporte de oxigênio (que será transformado em energia) para todo o corpo. Quando há falta de hemoglobina, as células sofrem com a falta de energia. A partir daí, o corpo desenvolve uma condição chamada de anemia ferropriva e precisa trabalhar muito mais para se manter em funcionamento. A solução indicada pelos médicos é a reposição de ferro por meio da alimentação e de suplementos.

MELHORA DA FERTILIDADE:

L-Carnitina e Acetyl -L-Carnitina – LC / ALC:

A LC e  ALC formam grupo de nutrientes relacionados a energia para a motilidade seminal. Os estudos sobre seu uso e impacto na fertilidade masculina são bastante interessantes. Homens com infertilidade parecem apresentar níveis reduzidos de L-Carnitina no plasma seminal.

Selênio:

O selênio é um poderoso antioxidante. Muito utilizado nos casos com elevada % de radicais livres de oxigênio ou com elevada fragmentação de DNA espermático. Isto levando em consideração que geradores de radicais livres estejam compensados, como obesidade, tabagismo e varicocele. A dose de 50mcg parece ser suficiente, colaborando com mais de 70% da dose diária recomendada. Esta diretamente associado a integridade da cauda dos espermatozoides, portanto ligado diretamente à % de espermatozoides rápidos progressivos.

Zinco:

O zinco, presente em cereais integrais, ostras, frutos do mar, germe de trigo, ovos, abóbora, avelãs e outras nozes, feijões, levedo de cerveja, cebolas, está associado a melhora da concentraçã e contagem de espermatozoides , na dose de 15mg por dia e também presente em diversos polivitamínicos.

Coenzima Q10:

A coenzima Q10 é outro poderoso antioxidante, ligado diretamente também ao funcionamento mitocrondrial e ao metabolismo da cauda dos espermatozoides, ou seja, atua mais diretamente sobre a motilidade espermática. Recomenda-se doses altas diárias, por volta de 150 a 200mg /dia.

Vitamina C:

A vitamina C, utilizada sobre a forma de comprimidos ou presente na laranja, brócolis, couve e couve flor, é um potente antioxidante e pode melhorar a motilidade dos espermatozoides. Uma dose diária de 1.000mg de vit C é suficiente.

Vitamina B12:

A Vitamina B12 esta associada à síntese do DNA espermático e maturação celular. Deficiências de B12 estão cursam com queda da concentração de motilidade espermáticas.

Omega 3:

O omega 3, geralmente encontrado em peixes, soja, milho, ovos ou leite melhora motilidade do esperma, aumentando assim as chances de fecundação com o óvulo. Também pode ser encontrada em preparados vitamínicos, na dosagem correta de 3g ao dia. Estudos em ratos, nos Estados Unidos, demonstraram reversão do estado de infertilidade com o uso prolongado de Omega 3. Estudos com ômega 6 e 9 ainda não demonstram ligação específica com a melhora da fertilidade no homem.

Vitamina E:

A vitamina E pode ser protetora para mutações nos espermatozoides e auxiliar na produção de hormônios importantes para a fertilidade masculina, além de ser também um importante antioxidante. Suas fontes principais são: óleo de germe de trigo, óleo de girassol, nozes, amendoim e brócolis. Dose diária de 400UI é recomendada e pode ser encontrada em polivitamínicos. A carência de vitamina E pode levar a problemas no sistema reprodutor, como degeneração dos testículos e supressão da fertilidade.

VITAMINAS E MINERAIS PARA MELHORAR A VIDA SEXUAL:

Vitamina A: Essa é considerada a vitamina essencial para a função sexual. Isso porque ela auxilia na produção dos hormônios responsáveis por essa função.

Vitamina C: Muito famosa por proteger o organismo contra diversos problemas de saúde por agir no sistema imune, a vitamina C também é um poderoso estimulante sexual. Ela auxilia na produção de hormônios e pode ajudar na ereção.

Vitamina E: importante para circulação, ela auxilia no fluxo de sangue para órgãos genitais, além de aumentar a produção de hormônios em ambos os sexos.

Zinco: Um mineral fundamental para que a testosterona seja produzida em quantidade saudável e saúde e motilidade do esperma.

Selênio: O selênio atua principalmente melhorando a função sexual no organismo masculino, um mineral fundamental para saúde espermática e fertilidade.

VITAMINA PARA FORTALECER OS CABELOS E EVITAR A CALVÍCIE:

Vitamina A: A Vitamina A é uma ótima opção para queda de cabelo, já que age sobre a produção de queratina e colágeno. Ela é facilmente encontrada em formato de ampolas, que podem ser aplicadas diretamente nos fios ou misturada na máscara de tratamento capilar.

Vitamina C: A Vitamina C tem um papel muito relevante na saúde dos fios e sua carência pode estar relacionada à queda capilar. Geralmente, a vitamina C é indicada em comprimidos, com dose de 300g a 1000g diárias, durante duas semanas.

Biotina: A Biotina faz parte do complexo B e atua na prevenção da queda de cabelo, sendo bastante indicada para evitar a progressão da calvície. Comprimidos de biotina devem ser indicados conforme orientação médica e, geralmente, são de 5 a 10mg por dia.

Ácido Fólico: O ácido fólico é outro exemplo de vitamina para queda de cabelo, mas que também ajuda no crescimento de novos fios. A posologia deve se indicada conforme orientação médica, mas geralmente, a dose máxima não ultrapassa 15mg ao dia.

Complexo B: As vitaminas do complexo B, como a Biotina, que já citamos anteriormente, e o ácido pantatênico, são ótimas opções de vitamina para queda de cabelo, pois ajudam na saúde do couro cabeludo. Essas vitaminas podem ser encontradas em comprimidos e é sempre recomendado procurar auxilio profissional para a dosagem certa.

VITAMINAS E SUPLEMENTOS PARA HOMENS ACIMA DOS 50 ANOS:

Magnesium - Para o bem-estar da mente e do corpo:

Magnesium pode ser o mineral mais crítico de todos eles. Está envolvido em centenas de processos bioquímicos em todo o corpo desde a produção de energia até a pressão sangüínea e o desenvolvimento ósseo.  Magnesium também é essencial para o transporte cálcio e potássio através das membranas celulares, que é vital para o funcionamento saudável dos nervos, músculos e coração. 

Se você comer muitos produtos frescos, você obterá magnesium em sua dieta. Mas os pesquisadores dizem que a deficiência de magnesium em nossas plantas está se tornando mais comum devido a solos empobrecidos em magnesium . Como resultado, cerca de dois terços das pessoas nos países desenvolvidos não recebem magnesium suficiente de suas dietas.

Além disso, quando estamos estressados ou ansiosos, nossas células desperdiçam magnesium , o que é um problema de composição porque os baixos níveis de magnesium podem fazer você se sentir ainda mais estressado e ansioso.

Obter o magnesium adequado também pode ajudá-lo a dormir melhor, incentivando o funcionamento saudável de GABA receptores, que ajudam a sua mente a parar de correr e dormir melhor à noite para que você possa obter o descanso que você precisa.

Vitamina  D - Para Absorção de Cálcio e Mais:

A pesquisa mostra continuamente sua ampla aplicação para a saúde humana, mas a maioria das pessoas também não se alimenta desse nutriente.  Além disso, as pessoas idosas correm um risco ainda maior de desenvolver vitamina D insuficiências porque o envelhecimento da pele não sintetiza vitamina D eficientemente, além de adultos mais velhos tendem a passar mais tempo dentro de casa.

Vitamina D é necessário para nos ajudar a absorver cálcioe suporta a função imunológica, a modulação do crescimento celular e muito mais.  Sem níveis suficientes de vitamina D, temos uma capacidade limitada de absorver cálcio, então o corpo pode começar a tomar cálcio de lojas dentro do nosso sistema esquelético, levando a ossos mais fracos.

Mantenha seu vitamina D e cálcio níveis acima com um combinação de vitamina D3 e suplemento de cálcio. Especialistas dizem vitamina D3 pode ser duas vezes mais eficaz que outras vitamina D suplementos para aumentar vitamina D níveis. 

Acidos graxos ômega-3 - Para a saúde do coração e do cérebro:

Os ácidos graxos ômega-3 - ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexaenóico (DHA) - encontrados no óleo de peixe são mais conhecidos por promoverem saúde cerebral, mas os benefícios do ômega-3 não param por aí.

Os ácidos graxos ômega-3 suportam muitas áreas da saúde. Tantos, de fato, que pesquisadores europeus estimam que quase 12,9 bilhões de euros (ou 16 bilhões de dólares) em custos médicos poderiam ser salvos se todos com mais de 55 anos tomassem um suplemento de ácidos graxos ômega-3.

Além do coração e saúde cerebral, os ácidos graxos ômega-3 suportam olhos, articulações, ossos e pele saudáveis, além de ajudar a dormir melhor e ter um humor mais positivo.

Se os peixes gordurosos, como o salmão e a cavala, não forem regulares no seu prato, é seguro assumir que um suplemento de ômega-3 pode ser benéfico.

Vitamina B12 - Para Energia e Saúde Cognitiva:

À medida que envelhecemos, as alterações digestivas tornam mais difícil para o corpo absorver e utilizar Vitamina B12 de fontes alimentares. Por que isso é significativo? Vitamina B-12 faz muito para manter nosso corpo saudável e energizado, desde apoiar a saúde cardiovascular e células nervosas saudáveis até desempenhar um papel no metabolismo, produção de células sanguíneas e muito mais. Mas há uma área em particular que vitamina B12 os níveis podem afetar a idade à medida que envelhecemoscognitivo saúde.

Mesmo uma deficiência leve em vitamina B12 tem sido associado a um maior risco de cognitivo problemas de saúde com a idade.  Vitamina B12 é essencial para a função cerebral ideal. E por causa da capacidade diminuída do corpo de absorver naturalmente vitamina B12 da nossa alimentação à medida que envelhecemos, os especialistas dizem que a maioria dos adultos com mais de 50 anos deve tomar um vitamina B12 Suplemento ou comer alimentos fortificados para obter o seu preenchimento diário.

Probióticos - Para a saúde digestiva e imunológica:

Falando de mudanças na digestão, você sabia que a saúde do seu trato gastrointestinal está intimamente ligada ao seu bem-estar geral? A maior parte do seu sistema imunológico está no seu intestino, e o processo digestivo fornece os blocos de construção para a vitalidade, começando com a absorção de nutrientes. Portanto, manter seu corpo saudável com a idade também significa cultivar um microbioma intestinal saudável, e os probióticos podem ajudá-lo a fazer exatamente isso.

Aminoácidos - Para músculos e muito mais:

Você acha que os aminoácidos são apenas para fisiculturistas ou fãs de fitness? De jeito nenhum! Os aminoácidos são blocos de construção essenciais para corpos saudáveis. Nossas células, músculos e tecidos precisam deles para se manterem saudáveis e estão envolvidos na produção de neurotransmissores que aumentam o bem-estar da mente e do corpo. 

 Um papel importante que os aminoácidos podem desempenhar é apoiar a produção de hormônio do crescimento, que, como você deve ter adivinhado, diminui com a idade. Esse declínio está associado a mudanças na composição corporal, incluindo massa corporal magra, força muscular e gordura corporal.

CoQ10 - Para saúde e energia do coração:

Coenzima Q10 (CoQ10) é um nutriente criticamente importante para a saúde do coração e energia celular. Seu corpo produz algumas naturalmente, mas a produção diminui constantemente com a idade. Os baixos níveis de CoQ10 têm sido associados a problemas cardiovasculares; portanto, adicionar um CoQ10 à sua rotina de bem-estar nos seus 50 anos, ou mesmo antes, é uma boa idéia para ajudar a promover uma saúde ideal. O CoQ10 também é um complemento popular para pessoas que tomam estatinas, porque o CoQ10 pode ajudar a reduzir os efeitos relacionados ao músculo das estatinas.

Existem dois tipos de suplementos CoQ10 -ubiquinol e ubiquinona. Ubiquinol é a forma ativa de CoQ10 que seu corpo usa, mas seu corpo converte a ubiquinona em ubiquinol. Outro fator CoQ10 relacionado ao envelhecimento é que seu corpo também pode perder sua capacidade de fazer essa conversão à medida que você envelhece, então especialistas dizem que pessoas mais velhas podem se beneficiar mais de tomar suplementos de ubiquinol.

Saw Palmetto - Para suporte de próstata:

Senhores, não é nenhum segredo que sua próstata requer atenção à medida que envelhecemos. Sua próstata cresce naturalmente à medida que envelhece, e pode começar a pressionar a bexiga, o que, por sua vez, pode afetar a micção. O que você pode fazer para ajudar a apoiar a saúde da próstata com a idade? Experimente o Saw Palmetto, uma erva potente e o suplemento mais consumido para apoiar os níveis de testosterona e a saúde da próstata.

O Saw Palmetto é uma fonte natural de ácidos graxos e esteróis de plantas para promover uma próstata saudável, fluxo e frequência saudáveis do trato urinário, e pode ajudar a manter o equilíbrio hormonal.

Ácido alfa lipoico:

Ajude-se a se sentir jovem, vibrante e saudável, obtendo mais ácido alfa-lipídico (ALA) diariamente. ALA é um ácido graxo antioxidante produzido naturalmente no corpo e encontrado em certos alimentos, como carne vermelha, fígado, levedo de cerveja e em menor quantidade em algumas frutas e legumes.Às vezes, é chamado de "antioxidante universal" porque o ALA é solúvel em água e gordura.

Pesquisadores dizem que a dieta típica ocidental não contém ALA suficiente, fazendo com que o ALA complete nossa fonte primária. Como complemento, a pesquisa mostra que o ALA ajuda a regenerar outros antioxidantes, incluindo vitamina C, vitamina E e a glutationa, e podem ajudar a promover tudo, desde a saúde do coração e do fígado até o metabolismo energético e a pele saudável - todas as chaves para envelhecer graciosamente (e saudável).Os pesquisadores também estudaram o ALA por seu potencial para ajudar a sustentar nervos saudáveis, peso, visão e muito mais.

SINTOMAS DA FALTA DE VITAMINAS:

Os sintomas da avitaminose variam de acordo com a vitamina que está faltando no organismo.

As vitaminas participam de todos os processos metabólicos. Assim, sua deficiência no organismo pode levar a doenças e necessidades metabólicas, às vezes sérias, comprometendo o bom funcionamento dos sistemas. As deficiências podem ser gradativas, decorrentes da má alimentação ou do grande consumo de vitaminas em situações especiais: idosos, praticantes de atividades físicas intensas, gravidez, convalescença de doenças, crescimento.

Os sintomas mais comuns são:

  • Cansaço (fadiga).
  • Sono diurno.
  • Falta de atenção.
  • Pele áspera e seca.
  • Cabelos e unhas quebradiças.
  • Atraso no crescimento e problemas cognitivos e motores em crianças.

Para diagnosticar a falta de vitaminas, deve-se ter atenção a esses sintomas, bem como realizar exames anualmente.

QUE CONSEQUÊNCIAS A FALTA DE VITAMINAS PODERÁ CAUSAR?

Deficiência de vitamina A: A deficiência de vitamina A irá causar dificuldades para a visão noturna. Se esse déficit for prolongado ao longo do tempo, a imunidade e a capacidade de regeneração celular também serão afetadas.

O déficit de vitaminas B1, B2, B2, B5 e B6: Afetará negativamente a produção de energia, dificultando a absorção e a utilização dos nutrientes e, em última análise, a produção de energia.

O déficit de ácido fólico (B9): Pode causar anemia, úlceras na boca e aparecimento prematuro de cabelos grisalhos.

Deficiência de vitamina B12: A falta de vitamina B12 é especialmente problemática para veganos e vegetarianos. Pode causar anemia, sintomas neurológicos (como dormência das extremidades, perda de memória e alterações de humor) e sintomas digestivos (principalmente perda de apetite e constipação).

Deficiência de vitamina C: Causará fadiga e prejudicará a função do sistema imunológico. Uma falta real pode levar ao escorbuto, uma doença muito rara nos dias de hoje que se manifesta com sangramento abundante, úlceras nas gengivas e distúrbios psiquiátricos.

A falta de vitamina D: Afetará a absorção de cálcio e sua incorporação nos ossos, aumentando o risco de fraturas e osteoporose. Esse déficit também prejudicará a saúde cardiovascular, causando hipertensão e outros distúrbios cardíacos.

Deficiência de vitamina E: Pode causar envelhecimento prematuro. Além disso, uma falta mais severa irá prejudicar o sistema nervoso e afetará a capacidade cognitiva, prejudicando a memória e a aprendizagem.

Deficiência de vitamina K: Uma diminuição nos níveis de vitamina K. Afetará a capacidade do corpo de coagular e curar, causando sangramentos abundantes e feridas que não cicatrizam. curar, causando sangramentos abundantes e feridas que não cicatrizam.

COMO COMPLEMENTAR AS VITAMINAS?

Para complementar as vitaminas corretamente é necessário realizar exames e ter a orientação de um médico ou nutricionista.

Afinal, existem diversas opções de vitaminas no mercado – em gomas, injetáveis, em comprimidos ou em cápsulas – e em variadas dosagens. Apenas um médico ou nutricionista poderá indicar qual a mais adequada para cada necessidade e à rotina do paciente. Isso sem falar nos ajustes na alimentação, que podem ser realizados sob orientação desses profissionais.

Em todo caso, quando se faz necessária a suplementação das vitaminas, o paciente encontra diversas opções e pode escolher a que melhor se encaixe na rotina. Por exemplo, as vitaminas em gomas deixam o momento mais prazeroso, pois pode ser mastigada, não apresentando dificuldade ao engolir e tem sabor de frutas.

SUPLEMENTOS VITAMINICOS:

O uso de suplementos vitamínicos é importante para pessoas que apresentam deficiência de certas vitaminas no corpo.

Esse é o caso, por exemplo, de pessoas que não fazem consumo de alimentos ricos em vitamina B12 (carnes, ovos e leite), como os veganos, sendo necessária complementação para evitar complicações. Esse é o caso também de pessoas que apresentam problemas de absorção de vitaminas. Além disso, a suplementação é recomendada para mulheres que pretendem engravidar, sendo, nesse caso, recomendado o uso de ácido fólico.

Apesar da complementação ser necessária em alguns casos, o uso das vitaminas merece atenção e só deve ser feito com recomendação. Em excesso, algumas vitaminas podem causar danos à saúde, sendo esse o caso de vitaminas lipossolúveis, capazes de depositarem-se na gordura de nosso corpo. Desse modo, o ideal é que pessoas que não apresentam problemas na absorção ou dieta deficitária de alguma vitamina, procurem esses importantes nutrientes em alimentos saudáveis.

PERGUNTAS FREQUENTES:

Qual a melhor forma de tomar Multivitaminico?

É indicado que a ingestão do multivitamínico seja feita durante uma refeição, como o jantar ou o almoço. Isso porque alguns alimentos auxiliam o organismo a absorver as substâncias. Assim, tomar durante as refeições melhora o efeito do suplemento.

Quantas vezes por dia devo tomar Multivitaminico?

Recomenda-se o consumo de uma cápsula ao dia. No entanto, é indispensável consultar um nutricionista, visto que cada pessoa necessita de uma quantidade específica de nutrientes, que pode ser maior em casos de deficiências na alimentação ou rotina de treinos intensas.

Quem pode tomar Multivitaminico?

Sem esquecer que os suplementos multivitamínicos, mesmo sendo vendidos sem prescrição médica, costumam ser mais indicados para pessoas com deficiência desses nutrientes, como por exemplo um atleta, vegano, vegetariano ou um indivíduo com carência devido alimentação desequilibrada ou a problemas de absorção de vitaminas.

O que é um complexo vitamínico?

O complexo vitamínico é uma junção de importantes vitaminas e minerais que auxiliam no melhor funcionamento do organismo. Cada uma delas é responsável por uma função no corpo e juntas podem trazer benefícios ainda maiores a nossa saúde.

Pode tomar vitamina em jejum?

Embora as vitaminas B e C, solúveis em água, possam ser absorvidas quando tomadas com alimentos ou de estômago vazio, as vitaminas A, D, E e K, solúveis em gordura, são mais eficientemente absorvidas quando ingeridas com alguma gordura.