Multivitamínico Infantil

5 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Descendente

5 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Descendente

À medida que as crianças crescem, é importante que elas obtenham vitaminas e minerais suficientes para garantir a saúde ideal.

A maioria das crianças obtém quantidades adequadas de nutrientes de uma dieta equilibrada, mas sob certas circunstâncias, as crianças podem precisar suplementar com vitaminas ou minerais.

O QUE SÃO MULTIVITAMÍNICOS:

Multivitamínico é uma preparação destinada a servir como um complemento alimentar com vitaminas, minerais e outros elementos nutricionais. Tais preparações estão disponíveis na forma de comprimidos, cápsulas, pastilhas, pós, líquidos ou formulações injetáveis.

PARA QUE SERVE O MULTIVITAMÍNICOS:

Multivitamínicos, também conhecidos como polivitamínicos, são complexos vitamínicos-minerais essenciais para a saúde de todos, pois possuem a capacidade de suprir às necessidades de micronutrientes quando a alimentação não consegue atingir suas necessidades nutricionais.

O QUE É A FALTA DE VITAMINAS?

A falta de vitaminas é chamada de avitaminose e acontece quando não atingimos a necessidade diária de nutrientes que o corpo necessita para funcionar corretamente.

Isso pode ocorrer devido a uma má absorção do organismo ou pela falta de ingestão correta através de suplementos e alimentos.

Assim, quando isso acontece, nos sentimos mal e nos tornamos mais suscetíveis a doenças.

QUAIS OS POSSÍVEIS SINTOMAS DA FALTA DE VITAMINA?

Os sintomas da avitaminose variam de acordo com a vitamina que está faltando no organismo.

“As vitaminas participam de todos os processos metabólicos. Assim, sua deficiência no organismo pode levar a doenças e necessidades metabólicas, às vezes sérias, comprometendo o bom funcionamento dos sistemas. As deficiências podem ser gradativas, decorrentes da má alimentação ou do grande consumo de vitaminas em situações especiais: idosos, praticantes de atividades físicas intensas, gravidez, convalescença de doenças, crescimento”, afirma a gerente de produtos da Dr. Good, Daniele Drumond.

 

Os sintomas mais comuns são:

  • Cansaço (fadiga);
  • Sono diurno;
  • Falta de atenção;
  • Pele áspera e seca;
  • Cabelos e unhas quebradiças;
  • Atraso no crescimento e problemas cognitivos e motores em crianças.

 

Para diagnosticar a falta de vitaminas, deve-se ter atenção a esses sintomas, bem como realizar exames anualmente.

O QUE LEVA Á FALTA DE VITAMINAS:

A avitaminose pode ser causada por uma ingestão pouco variada de alimentos, por exemplo, com poucas frutas e verduras, ou por uma deficiência do corpo na absorção.

Para saber corretamente é necessário consultar um médico e realizar exames.

Desse modo, ele poderá informar corretamente quais vitaminas estão faltando, o motivo dessa falta e como repô-las corretamente.

O QUE A FALTA DE VITAMINAS PODE CAUSAR?

Falta de vitamina A:

Pode causar ulcerações nas córneas ou ceratoconjuntivite, podendo evoluir para necroses.

Presentes em alimentos como beterraba, cenoura, batata-doce e couve, a falta desta vitamina também pode contribuir para a queda de cabelo, unhas quebradiças, pele seca e cegueira noturna.

Falta de Vitamina B1 (Tiamina):

A falta da vitamina B1 causa perda de apetite, cansaço, inapetência, perda de sono, irritabilidade, insônia, formigamento, inchaço, prisão de ventre, confusão mental, bem como fraqueza muscular.

Além disso, em casos mais graves, é possível haver lesão cerebral, comprometimento do coração, entre outras doenças.

A vitamina B1 pode ser reposta através de suplementos alimentares e está presente em alimentos como feijão, berinjela, cogumelo, atum e grãos de cereais integrais, como aveia e linhaça.

Falta de Vitamina B2 (Riboflavina):

Inflamações na boca, falta de energia, anemia, sensibilidade visual, descamação e coceira da pele são alguns acontecimentos que a falta dessa vitamina pode trazer.

Ela está presente em alimentos como brócolis, ervilha, soja, espinafre e couve; e pode ser reposta com suplementos alimentares.

Falta de Vitamina B3 (Nicotinamida):

Falta de apetite, emagrecimento, fadiga, insônia, diarréia, irritabilidade, dermatites e depressão são alguns sintomas da falta dessa vitamina.

A vitamina B3 está presente em cogumelos, cereais integrais, brócolis, aspargo, batata-doce e outros alimentos.

Falta de Vitamina B5 (Ácido Pantotênico):

Insônia, sensação de ardência nos pés, doenças neurológicas, câimbras nas pernas, fadiga e baixa produção de anticorpos podem ser causados pela avitaminose desse nutriente.

Ele está presente em suplementos alimentares e em alimentos como salmão, lentilha, abacate, batata-doce e grãos integrais.

Falta de Vitamina B6 (Piridoxina):

Distúrbios nervosos, dermatites, adormecimento e formigamento das mãos e dos pés, anemia, fissuras nos lábios, confusão mental e convulsões em crianças.

A vitamina B6 está presente em suplementos alimentares e em alimentos como soja, feijão, banana, tomate, abacate, espinafre, entre outros.

Falta de Vitamina B7/B8 (Biotina):

Furúnculos, calvície, unhas quebradiças, conjuntivite, dermatites, perda de apetite, inflamações, dores musculares, fraqueza, enjoos, fadiga, anemia, altos níveis de colesterol e alucinações são alguns sintomas causados pela falta dessas vitaminas.

Presente em cogumelo, espinafre, couve-flor, leite, laranja, melão e em outros alimentos.

Falta de Vitamina B9 (Ácido Fólico):

Cefaleia, cansaço, distúrbios digestivos, insônia, anorexia, anemia, dificuldade de memorização, apatia, falta de ar, fraqueza e problemas de crescimento são alguns dos sintomas causados pela falta da vitamina B9, também conhecida como ácido fólico.

Ela está presente em vegetais de folhas verdes, cereais integrais, couves-flor, carnes, leguminosas e em outros alimentos.

Falta de Vitamina B11 (Carnitina):

Cansaço, confusão mental, fraqueza muscular, insuficiência renal e manifestações cardíacas são alguns problemas que a falta dessa vitamina pode causar.

Ela está presente em alimentos como laticínios, peixes e carnes.

Falta de Vitamina B12 (Cobalamina):

Sua falta pode causar alteração neurológica, fadiga, fraqueza, aftas, anemias, perda de apetite, perda de peso, dificuldade de concentração, falha de memória, constipação, queimação na sola dos pés, icterícia (pele amarela), entre outros problemas de saúde.

A vitamina B12 está presente em ovos, leites, queijos, peixes de água fria como salmão e atum, entre outros alimentos.

Falta de vitamina C:

A falta dessa vitamina pode causar escorbuto, que é caracterizado pelo sangramento das membranas gengivais e da mucosa, mau hálito e hemorragia. Além disso, pode causar feridas na pele e maior predisposição à gripe, bronquite e pneumonia;

Presente em frutas cítricas como laranja, limão, abacaxi e maracujá, a vitamina C, assim como todas as outras vitaminas e minerais, pode ser reposta com suplementação.

Falta de vitamina D:

A falta de vitamina D também pode causar prejuízos a saúde, como maior risco de ter câncer, osteoporose, problemas cardíacos, esclerose múltipla, doenças autoimunes e gripes. “A vitamina D está relacionada a resposta a infecções, formação do tecido ósseo e da resposta ao nível elevado de colesterol”, afirma Daniele.

Ela está presente em alimentos como atum, carne bovina, gema de ovo e manteiga.

Falta de vitamina E:

A falta dessa vitamina pode causar a diminuição dos reflexos, dificuldades visuais, doenças cardíacas, catarata, câncer, mal de Alzheimer e mal de Parkinson.

A vitamina está presente em verduras, óleos vegetais, oleaginosas, soja, banana e outros alimentos.

Falta de vitamina K:

Sua falta pode causar alterações na coagulação sanguínea. Assim, podendo dificultar o estancamento de um sangramento, interno ou externo, levando a uma hemorragia.

Alguns alimentos como espinafre, couve-flor, alface, cenoura, soja e brócolis são ricos em vitamina K.

EXAMES PARA DETECTAR A FALTA DE VITAMINAS NO ORGANISMO:

Para diagnosticar a falta de vitaminas e minerais no organismo, além dos sistemas e do histórico do paciente, existem exames, como o de sangue, que determinam exatamente qual vitamina está faltando.

Consulte o seu médico para saber a lista completa de exames e a melhor orientação sobre como repor as vitaminas e os minerais que estão em falta no seu corpo.

COMO ESCOLHER MULTIVITAMÍNICOS INFANTIS:

Multivitamínicos infantis geralmente vêm em dois grupos: 1º com ferro e 2º sem ferro. Você deve comprar um multivitamínico que não exceda 100% do valor diário da maioria das vitaminas para a faixa etária de seu filho .principalmente as vitaminas A, E e K (que serão indicadas pelo rótulo no verso). A exceção aqui é para a vitamina C e outras vitaminas solúveis em água. A vitamina D é uma vitamina solúvel em gordura, mas é aceitável ter mais de 100% do valor diário, porque a maioria das pessoas é deficiente (incluindo crianças) e a vitamina D não é tóxica, a menos que esteja em doses excepcionalmente altas que não vitamina diária. Se a vitamina tiver mais de 100% de A, E e K, é indicado dá ao seu filho metade da dose na mamadeira.

PARA QUE SERVE MULTIVITAMÍNICOS INFANTIS:

Os multivitamínicos infantis costumam atuar na melhora da imunidade e na formação dos ossos, com sabor de frutas e formato de gomas. Além disso, também existem multivitamínicos que atuam na dose diária de vitamina C e D.

AS CRIANÇAS PRECISAM DE VITAMINAS?

A maioria dos pediatras diz que não é necessário para a maioria das crianças saudáveis que crescem normalmente (fonte). Para as crianças que comem bem e comem uma variedade de alimentos, elas podem obter todos os nutrientes que precisam de alimentos integrais. Mas muitas crianças são muito exigentes, ou não comem muita comida ou não estão crescendo bem, e isso deixa muitos pais preocupados por não receberem os nutrientes de que precisam.

AS CRIANÇAS TEM NECESSIDADES NUTRICIONAIS DIFERENTES DAS DOS ADULTOS?

As crianças precisam dos mesmos nutrientes que os adultos,mas geralmente requerem quantidades menores.


À medida que as crianças crescem, é vital que elas obtenham quantidades adequadas de nutrientes que ajudem a construir ossos fortes, como cálcio e vitamina D.


Além disso, ferro, zinco, iodo, colina e vitaminas A, B6 (folato), B12 e D são cruciais para o desenvolvimento do cérebro no início da vida (5Trusted Source, 6Trusted Source).


Assim, embora as crianças possam precisar de quantidades menores de vitaminas e minerais em comparação aos adultos, ainda precisam obter o suficiente desses nutrientes para o crescimento e desenvolvimento adequados.

AS CRIANÇAS PRECISAM DE SUPLEMENTOS VITAMÍNICOS?

Em geral, crianças que seguem uma dieta saudável e equilibrada não precisam de suplementos vitamínicos.


No entanto, os bebês têm necessidades nutricionais diferentes das crianças e podem exigir certos suplementos, como vitamina D para bebês amamentados.


Tanto a Academia Americana de Pediatria quanto as Diretrizes Dietéticas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos para os americanos não recomendam suplementos além das doses recomendadas para crianças saudáveis com mais de um ano que seguem uma dieta equilibrada.


Essas organizações sugerem que as crianças comem uma variedade de frutas, vegetais, grãos, laticínios e proteínas para obter nutrição adequada.


Esses alimentos contêm todos os nutrientes necessários para o crescimento e desenvolvimento adequados das crianças.


No geral, as crianças que seguem uma dieta equilibrada que inclui todos os grupos de alimentos geralmente não precisam de suplementos vitamínicos ou minerais. Ainda, a próxima seção aborda algumas exceções.

ALGUMAS CRIANÇAS PODEM PRECISAR DE NUTRIENTES SUPLEMENTARES:

Embora a maioria das crianças que seguem uma dieta saudável não precise de vitaminas, circunstâncias específicas podem justificar a suplementação.

Certos suplementos vitamínicos e minerais podem ser necessários para crianças em risco de deficiências, como aquelas que:

  • Siga uma dieta vegetariana ou vegana;
  • Tem uma condição que afeta a absorção ou aumenta a necessidade de nutrientes, como doença celíaca, câncer, fibrose cística ou doença inflamatória intestinal (DII);
  • Fez uma cirurgia que afeta o intestino ou o estômago;
  •  São comedores extremamente exigentes e lutam para comer uma variedade de alimentos.

Em particular, as crianças que comem dietas à base de plantas podem estar em risco de deficiências em cálcio, ferro, zinco e vitaminas B12 e D especialmente se comerem poucos ou nenhum produto de origem animal.

As dietas veganas podem ser particularmente perigosas para as crianças se certos nutrientes como a vitamina B12 , que é encontrada naturalmente em alimentos para animais, não são substituídos por suplementos ou alimentos enriquecidos.

Deixar de substituir esses nutrientes nas dietas infantis pode levar a sérias consequências, como crescimento anormal e atrasos no desenvolvimento.

No entanto, é possível que crianças em dietas à base de plantas obtenham nutrição adequada apenas com a dieta, se seus pais incorporarem alimentos vegetais suficientes que contenham ou fortaleçam naturalmente com certas vitaminas e minerais.

Crianças com doenças celíacas ou inflamatórias intestinais podem ter dificuldade em absorver várias vitaminas e minerais, especialmente ferro, zinco e vitamina D. Isso ocorre porque essas doenças causam danos às áreas do intestino que absorvem micronutrientes.

Por outro lado, crianças com fibrose cística têm problemas para absorver gordura e, portanto, podem não absorver adequadamente as vitaminas A, D, E e K.

Além disso, crianças com câncer e outras doenças que causam aumento das necessidades de nutrientes podem precisar de certos suplementos para prevenir a desnutrição relacionada à doença.

Estudos:

Alguns estudos associaram a alimentação exigente na infância à baixa ingestão de micronutrientes.

Um estudo em 937 crianças com idades entre 3 e 7 anos constatou que uma alimentação exigente estava fortemente associada à baixa ingestão de ferro e zinco. Ainda assim, os resultados indicaram que os níveis sanguíneos desses minerais não eram significativamente diferentes entre os exigentes em comparação com os não exigentes.

No entanto, é possível que uma alimentação prolongada exigente possa levar a deficiências de micronutrientes ao longo do tempo e, consequentemente, justifique suplementos nutricionais.

BENEFÍCIOS DAS VITAMINAS PARA CRIANÇAS:

A infância é uma época intensa, marcada pelo crescimento acelerado e inúmeras mudanças. Neste período, a ingestão de alimentos ricos em micronutrientes (vitaminas e minerais) é imprescindível para o desenvolvimento físico, psíquico e imunológico. Porém, muitas vezes as crianças têm uma baixa ingestão de bons nutrientes, seja porque não aceitam diversas texturas e sabores dos alimentos naturais ricos em vitaminas e minerais, ou seja porque a hora de brincar é sempre tão gostosa que sentar à mesa para realizar a refeição parece uma tortura.

NECESSIDADES NUTRICIONAIS EM CRIANÇAS:

As necessidades nutricionais das crianças dependem da idade, sexo, tamanho, crescimento e nível de atividade.

De acordo com especialistas em saúde, crianças entre 2 e 8 anos precisam de 1.000 a 1.400 calorias por dia. As crianças de 9 a 13 anos precisam de 1.400 a 2.600 calorias por dia dependendo de certos fatores, como o nível de atividade.

Além de consumir calorias suficientes, a dieta de uma criança deve atender às seguintes DRIs

NUTRIENTES

DRI DE 1 A 3 ANOS

DRI DE 4 A 8 ANOS

Cálcio

700 mg

1,000 mg

Ferro

7 mg

10 mg

Vitamina A

300 mcg

400 mcg

Vitamina B12

0.9 mcg

1.2 mcg

Vitamina C

15 mg

25 mg

Vitamina D

00 IU (15 mcg)

600 IU (15 mcg)

Embora os nutrientes acima sejam alguns dos mais discutidos, eles não são os únicos que as crianças precisam.

As crianças precisam de uma certa quantidade de cada vitamina e mineral para o crescimento e a saúde adequados, mas as quantidades exatas variam de acordo com a idade. Crianças e adolescentes mais velhos precisam de quantidades diferentes de nutrientes do que crianças mais novas para apoiar a saúde ideal.

COMO GARANTIR QUE SEU FILHO ESTAR RECEBENDO NUTRIENTES SUFICIENTES:

Para garantir que as crianças estejam recebendo quantidades adequadas de nutrientes para que não precisem de suplementos, verifique se a dieta contém uma variedade de alimentos nutritivos.

Incorporar frutas, legumes, grãos integrais, proteínas magras, gorduras saudáveis e laticínios (se tolerado) nas refeições e lanches provavelmente fornecerá ao seu filho vitaminas e minerais suficientes.

Para ajudar seu filho a comer mais produtos, introduza continuamente novos legumes e frutas preparados de maneiras diferentes e saborosas.

Uma dieta saudável para crianças também deve limitar a adição de açúcar e alimentos altamente processados e concentrar-se em frutas inteiras em vez de suco de frutas.

No entanto, se você sentir que seu filho não está recebendo nutrição adequada apenas com a dieta, os suplementos podem ser um método seguro e eficaz para fornecer os nutrientes que as crianças precisam.

Consulte o pediatra do seu filho se estiver preocupado com a ingestão nutricional do seu filho.

VITAMINAS ESSÊNCIAS PARA BEBÊS:

Vitamina D:

O que faz: Ajuda principalmente no fortalecimento dos ossos, facilitando a absorção do cálcio.
Sua deficiência pode causar: Diversos problemas de saúde, como a osteoporose e doenças cardíacas.
Onde encontrar: Está presente em alguns peixes, mas a principal fonte de vitamina D é a exposição ao sol, que faz o corpo sintetizar a vitamina. Porém alguns cuidados devem ser tomados. Como o protetor solar inibe a absorção dos raios UVB pela pele, prefira tomar sol logo de manhã, antes das dez horas, e passe o protetor em seguida. Para bebês maiores de 6 meses, de 15 a 20 minutos é tempo suficiente para a produção da quantidade ideal, já para bebês abaixo dos seis meses o recomendável é 5 minutos. Como a vitamina D é encontra em pequena quantidade no leite materno, o pediatra deve receitar um suplemento vitamínico.

Vitamina A:


O que faz: Ajuda na visão, protegendo a córnea, contribui para uma pele saudável e para o crescimento do bebê.
Sua deficiência pode causar: Ressecamento dos olhos, dermatite, aumento da gravidade de infecções.
Onde encontrar: Em diversos alimentos, como laticínios, cenoura e outros alimentos na cor laranja, batata doce, milho, brócolis, alface e outros. Se o pequeno ainda não ingere alimentos sólidos, você pode fazer uma papinha deliciosa com esses ingredientes, cozinhando e cortando em pedaços pequenos para que seja de fácil mastigação.

Vitamina C:


O que faz: Tem como benefício principal o fortalecimento do sistema imunológico, prevenindo doenças como a gripe, e também ajuda o organismo a absorver o ferro.
Sua deficiência pode causar: Gripes em maior frequência, já que o sistema imunológico fica enfraquecido.
Onde encontrar: A laranja é a fruta mais conhecida para obter a vitamina C, porém a substância também pode ser encontra na goiaba, na acerola, no kiwi, no brócolis e outros alimentos. É importante ressaltar que a vitamina C oxida muito facilmente, perdendo suas propriedades benéficas, por isso quando for cortar uma fruta, procure fazer na hora que for servir o alimento pro seu bebê.

Ferro:


O que faz: Previne a anemia, melhora a resistência a infecções e é fundamental para um crescimento saudável.
Sua deficiência pode causar: Principalmente a anemia. A falta de ferro nos pequenos pode prejudicar seu desenvolvimento neurológico.
Onde encontrar: Carnes vermelhas (principalmente o fígado), peito de frango, feijão e lentilha, vegetais verde-escuros (couve, agrião, rúcula e espinafre) e outros alimentos.

DHA:


O que faz: É ótimo para o desenvolvimento do cérebro, ajudando com a memória e a prevenção de doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer.
Sua deficiência pode causar: A diminuição das conexões no cérebro, impedindo seu desenvolvimentos saudável.
Onde encontrar: O DHA é passado para o bebê através do leite materno, caso a mãe consuma a quantidade adequada, através de peixes e algas. Para aqueles que já ingerem sólidos, esses alimentos podem ser oferecidos.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA D PARA CRIANÇAS:

A vitamina D está relacionada não somente ao desenvolvimento e à manutenção da saúde óssea, mas também à redução do risco de obesidade e diabetes, além de aumentar a imunidade. Níveis séricos normais de vitamina D promovem a absorção do cálcio e, por essa razão, durante a infância, a deficiência dessa vitamina pode causar retardo do crescimento, anormalidades ósseas e aumento do risco de fraturas na vida adulta. Os alimentos que são fontes de vitamina D fornecem baixas quantidades e são de difícil aceitação pelas crianças, como o salmão, atum e cogumelos, por exemplo.  Como nos dias atuais as crianças se expõem ao sol cada vez menos, observa-se, ano após ano, o aumento da incidência de carência nutricional de vitamina D, já que o nosso corpo somente produz vitamina D quando exposto ao sol. Saiba mais sobre a importância desse nutriente em nosso Guia Completo da Vitamina D.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA C PARA CRIANÇAS:

A vitamina C é um dos micronutrientes mais estudados, e sua principal e mais conhecida função está relacionada à imunidade. Por participar da formação de colágeno, sua carência pode causar dificuldade de cicatrização. Quando em falta pode também levar a problemas nas gengivas e desestabilização dos dentes. Além disso, a vitamina C auxilia no:

  • Metabolismo energético
  • Regeneração da forma reduzida da vitamina E
  • Metabolismo de proteínas e gorduras
  • Absorção de ferro dos alimentos
  • Funcionamento do sistema imune.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA B2 PARA CRIANÇAS:

Vitamina do complexo B, relacionada ao metabolismo das gorduras, açúcares e proteínas. Sem ela, a vitamina B6 e o ácido fólico são incapazes de se transformar em suas formas ativas para exercerem suas ações. Sua deficiência, além de ocasionar manifestações físicas como pele seca e problemas visuais, pode também interferir na absorção do ferro. Sua forma ativa chama-se riboflavina-5-fosfato.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA B6 PARA CRIANÇAS:

Importante no metabolismo de carboidratos e aminoácidos. Regula a ação dos hormônios, auxilia na utilização de vitaminas e atua na síntese de neurotransmissores. Promove a formação das hemácias. Sua deficiência afeta o sistema nervoso e causa irritabilidade, dermatite seborreica, eczema, anemia e convulsões. Sua forma ativa chama-se piridoxal-5-fosfato.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA B12 PARA CRIANÇAS:

Importante no metabolismo celular, principalmente no trato gastrointestinal, medula óssea e tecido nervoso. Participa do metabolismo energético de aminoácidos e de lipídeos, da síntese de células, inclusive hemácias, e genes. A sua deficiência pode ser devida à má absorção (comum em pessoas idosas) ou por problemas digestivos e pode causar dor de cabeça, humor instável, fraqueza muscular, fadiga, indigestão, anemia, transtornos na formação do sangue, distúrbios gastrointestinais e neurológicos. Sua forma ativa chama-se metilcobalamina.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA A PARA CRIANÇAS:

Nutriente essencial, necessário em pequenas quantidades para o adequado funcionamento do sistema visual, crescimento e desenvolvimento, manutenção da integridade celular epitelial, função imune e defesa antioxidante. Estima-se que 250 milhões de crianças no mundo sejam deficientes de vitamina A e que de 250 mil a 500 mil crianças ao ano tornam-se cegas em decorrência da carência. Além do efeito direto na visão, a deficiência de vitamina A influencia na incorporação de ferro nas hemácias, agravando os casos de anemia ferropriva.

IMPORTÂNCIA DA VITAMINA K PARA CRIANÇAS:

É necessária na coagulação sanguínea e na cicatrização, atuando na formação óssea. A vitamina K impede a progressão da placa de colesterol e inibe a calcificação arterial, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares. Antibióticos interferem negativamente na absorção de vitamina K. Sua deficiência gera tendência à hemorragia, causando sangramento fácil de gengiva e da pele. Sua forma mais reconhecida pelo corpo é a K2 (menaquinona).

 

IMPORTÂNCIA DO ÁCIDO FÓLICO PARA CRIANÇAS:

Necessário para a formação e maturação das células sanguíneas e das células de defesa na medula óssea, a deficiência de ácido fólico pode ocasionar má-formação das células, déficit de crescimento, anemia, alterações sanguíneas e distúrbios na digestão. Para exercer sua ação, o ácido fólico precisa ser transformado em ácido folínico e posteriormente em metilfolato, sua forma ativa. 

IMPORTÂNCIA DO FERRO PARA CRIANÇAS:

Elemento essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança e que, em deficiência, pode levar a casos de anemia ferropriva. Nos países em desenvolvimento como o Brasil, estima-se que a prevalência de anemia entre crianças seja de mais de 50%, podendo reduzir as habilidades das crianças em relação à linguagem e coordenação motora fina.

IMPORTÂNCIA DO ZINCO PARA CRIANÇAS:

O zinco está presente em mais de 300 reações químicas dentro do nosso corpo, logo, é possível imaginar a importância de manter bons níveis séricos de zinco. Entre os inúmeros processos biológicos influenciados por esse oligoelemento destacam-se o crescimento e o desenvolvimento físico e mental, a sua influência no metabolismo de transporte e absorção da vitamina A, prevenção de diabetes e seu papel na defesa do organismo pela maturação das células de defesa e por sua ação antioxidante.

MULTIVITAMÍNICOS PARA CRIANÇAS COMO ESCOLHER:

Crianças que tem uma dietas saudáveis e equilibradas normalmente preenchem suas necessidades nutricionais através dos alimentos.

Ainda assim, suplementos vitamínicos podem ser necessários para comedores exigentes, crianças que têm uma condição de saúde que afeta a absorção de nutrientes ou aumentam as necessidades de nutrientes, ou aquelas que seguem uma dieta vegetariana ou vegana.

Ao fornecer vitaminas para crianças, escolha marcas de alta qualidade que contenham doses apropriadas para crianças.

Para garantir que seu filho esteja recebendo nutrientes suficientes, ofereça uma dieta equilibrada que inclua uma variedade de alimentos e limite os doces e os alimentos refinados.

ESCOLHENDO UMA VITAMINA E DOSAGEM:

Se o seu filho segue uma dieta restritiva, não consegue absorver adequadamente os nutrientes ou é um consumidor exigente, eles podem se beneficiar com a ingestão de vitaminas.

Sempre discuta suplementos com um médico antes de dar ao seu filho.

Ao escolher um suplemento, procure marcas de qualidade que tenham sido testadas por terceiros, escolha vitaminas feitas especificamente para crianças e garanta que elas não contenham megadoses que excedam as necessidades diárias de nutrientes das crianças.

VITAMINAS EM GOMA PARA CRIANÇAS:

Uma novidade no mercado de suplementos infantis são as vitaminas em gomas, que garantem a suplementação da criança de maneira mais prática e agradável. Isso porque a criança pode mastigar a vitamina em goma, sendo fácil de digerir e com sabor de frutas. 

Com a dificuldade que muitas crianças têm para tomar cápsulas e comprimidos, as gomas de vitaminas aparecem como alternativas práticas e saudáveis, capazes de suprir possíveis carências e manter os níveis ideais destas vitaminas. Elas apresentam a mesma eficácia apresentada pela forma tradicional, mas é importante ficar atento à quantidade de vitamina por gominha e se existe presença de açúcar ou ingredientes artificiais.

CRIANÇAS QUE PRECISAM DE SUPLEMENTOS VITAMÍNICOS:

  • Crianças que não fazem refeições regulares e equilibradas, feitas com alimentos frescos e integrais;
  • Crianças com condições médicas crônicas, como asma ou problemas digestivos, principalmente se estiverem tomando medicamentos. (Não se esqueça de conversar com o médico do seu filho antes de iniciar um suplemento, se ele estiver tomando medicação.)
  • Crianças que comem muito fast-food, alimentos de conveniência e alimentos processados
  • Crianças com dieta vegetariana ou vegana (podem precisar de um suplemento de ferro), uma dieta sem laticínios (podem precisar de um suplemento de cálcio) ou outra dieta restrita
  • Crianças que bebem muito refrigerante com gás, que pode liberar vitaminas e minerais de seus corpos.

5 MOTIVOS PELO QUAIS VOCÊ DEVE DAR MULTIVITAMÍNICO AO SEU FILHO:

As lacunas se foram:
Um suplemento multivitamínico é exatamente isso - uma maneira de "complementar" a dieta de seu filho e preencher eventuais lacunas nutricionais. Uma lacuna nutricional é a falta de qualquer vitamina ou mineral e pode afetar a saúde ideal. Todos os tipos de comedores, desde os mais exigentes até os sem fundo, podem ter algumas lacunas nutricionais e podem se beneficiar da nutrição diária fornecida por um multivitamínico.

Ossos fortes e sorrisos brilhantes:
Multivitaminas que contêm cálcio e vitamina D, fornecem às crianças o mineral primário (cálcio) necessário para ossos fortes e brancos perolados e uma vitamina essencial (D) para ajudar seus corpos em crescimento a absorver o cálcio. Essa combinação é especialmente essencial durante a primeira infância e a adolescência, quando a maioria da massa óssea de uma pessoa é formada.

Crianças saudáveis e felizes:
Vitaminas como A, C, D e E são essenciais nos alimentos para crianças, e cada uma delas é muito importante para apoiar a saúde imunológica o ano todo. Os multivitaminicos podem contribuir para a saúde antioxidante e ajudar a manter o sistema imunológico do seu filho saudável e fortalecido.

Energia para brincar:
As crianças precisam de energia das fontes certas para alimentar seus dias ativos e não a "energia" temporária que provém de toneladas de açúcar (e a inevitável queda que se segue). Os multivitamínicos são ricos em vitaminas do complexo B e podem ajudá-los a converter alimentos em energia e têm 33% menos açúcar do que a marca líder. Assim como os adultos, as crianças em crescimento precisam reabastecer seu suprimento de vitaminas do complexo B diariamente, para que possam apoiar metabolismo energético e desfrute ao máximo de seus dias cheios de diversão.

Estabelece hábitos saudáveis cedo:
O reabastecimento regular de vitaminas e minerais é essencial para a saúde e vitalidade, e isso é especialmente verdadeiro no crescimento e mudança diária dos corpos das crianças. As crianças que crescem tomando suas vitaminas todos os dias têm muito mais probabilidade de continuar saudáveis.

ORIENTAÇÕES:

Para crianças e adolescentes com dietas altamente seletivas, como o vegetarianismo ou uma dieta sem laticínios, e para crianças com padrões alimentares irregulares, um profissional de saúde pode recomendar um suplemento diário, diz a Academia Americana de Pediatria. Os suplementos vitamínicos vendidos sem receita são normalmente seguros e podem ser mastigados, caso o seu filho tenha dificuldade em engolir. Lembre-se, no entanto, que doses mais altas que o recomendado de suplementos podem causar problemas. Por exemplo, administrar altas doses de vitamina C na esperança de prevenir resfriados e gripes pode causar náusea, diarréia e cãibras na criança.

As vitaminas e os suplementos infantis podem ter cores e formas divertidas, mas não são doces. Siga as instruções do rótulo sobre as instruções de tamanho e dosagem. Peça conselhos ao seu médico se tiver dúvidas sobre suplementos. Mantenha vitaminas e suplementos fora do alcance das crianças.

PERGUNTAS FREQUENTES:

Qual vitamina O bebê deve tomar?
Embora o leite materno seja tudo que o bebê precisa, em termos de alimentação, até os seis meses de idade, os pais devem ficar atentos a suplementação da vitamina D.

Qual a vitamina para fraqueza?

As vitaminas do complexo B, como as citadas aqui, são essenciais para a produção de energia. Além disso, o ferro também é essencial para nos sentirmos bem, pois uma de suas atuações é no transporte de oxigênio.

Quando não os ingerimos em quantidades suficientes, ficamos sem energia, muito cansados, apáticos e com quedas acentuadas de cabelo.

Qual a melhor forma de consumir vitaminas?

A melhor forma de consumir vitaminas é seguindo a orientação do seu médico ou nutricionista.

Contudo, é indicado que o consumo seja feito durante as refeições para facilitar a absorção dos nutrientes.

As opções em gomas são saborosas, pois tornam a ingestão da vitamina um momento prazeroso. Elas possuem sabor de frutas e podem ser mastigadas, sendo fáceis de engolir.

Qual vitamina para dar energia?

Para manter a energia em alta, vitaminas como o ativo B12 e ácido fólico são essenciais.

 

Qual a melhor vitamina para fortalecer o corpo?

Para fortalecer a imunidade e o corpo a vitamina E, vitamina C, B6, A, complexo B, A, E, K.

Qual a melhor vitamina para crianças?

É indicado que as crianças recebam quantidades diárias de vitamina D e de vitamina C, aliados a uma boa alimentação.

Para essa faixa etária existem vitaminas em gomas feitas especialmente para crianças, que facilitam na hora de engolir e possuem a quantidade exata de nutrientes necessários.

Consulte o pediatra para saber mais sobre como colocar vitaminas na alimentação das crianças.

Qual a melhor forma de tomar Multivitamínico?

É indicado que a ingestão do multivitamínico seja feita durante uma refeição, como o jantar ou o almoço. Isso porque alguns alimentos auxiliam o organismo a absorver as substâncias. Assim, tomar durante as refeições melhora o efeito do suplemento.

Para que serve o complexo B para crianças?

A vitamina B, que na verdade é um complexo de vitaminas (complexo B), age de maneira importante no metabolismo das células do organismo.O uso dessas vitaminas é recomendada desde que o bebê ainda está na barriga da mãe. Quando isso não é feito, há o risco de ocorrer malformações na criança.

Quais os benefícios da vitamina complexo B?

As vitaminas do complexo B servem para regular a produção de energia no organismo, manter a saúde do sistema nervoso, da pele, dos cabelos e do intestino. Além disso, elas são importantes para prevenir anemia e fortalecer o sistema imunológico.

 

Como usar o Vitaminas do Complexo B?

  1. Os comprimidos revestidos devem ser ingeridos com um pouco de líquido.
  2. Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.
  3. Uso adulto.
  4. Uso adulto e pediátrico.

Como saber se a criança estar recebendo os nutrientes suficientes?

Para garantir que as crianças estejam recebendo quantidades adequadas de nutrientes para que não precisem de suplementos, verifique se a dieta contém uma variedade de alimentos nutritivos.


Incorporar frutas, legumes, grãos integrais, proteínas magras, gorduras saudáveis e laticínios (se tolerado) nas refeições e lanches provavelmente fornecerá ao seu filho vitaminas e minerais suficientes.


Para ajudar seu filho a comer mais produtos, introduza continuamente novos legumes e frutas preparados de maneiras diferentes e saborosas.


Uma dieta saudável para crianças também deve limitar a adição de açúcar e alimentos altamente processados e concentrar-se em frutas inteiras em vez de suco de frutas.


No entanto, se você sentir que seu filho não está recebendo nutrição adequada apenas com a dieta, os suplementos podem ser um método seguro e eficaz para fornecer os nutrientes que as crianças precisam.